1. Uma casada Safada.


    Encontro: 21/12/2017, Categorias: Heterossexual, Sexo, Gozo, Orgasmo, Tesão, Autor: DocecomoMel, Fonte: CasadosContos

    quando ela disse que todos na academia comentam que ela e o marido sempre citam meu nome na intimidade. Caracas! Agora desgraçou tudo! Eu pensei já ficando cada vez mais excitado. Logo Eduardo voltou e entrou na conversa dizendo que ouviu a esposa me fazer a pergunta. -Diga Jorge, é ou não e bem dotado? -Calma Eduardo, não fica bem eu dizer estas coisas para sua mulher! Ele assentiu dizendo: -Deixa de ser bobo Jorge ela tem maior vontade de ser comida por um dotado! Eduardo disse se referindo a sua esposa. Olhei no relógio e passava de meia noite e aleguei cansaço. Disse que iria tomar banho para dormir. Eduardo mostrou-me o banheiro e disse que logo a esposa Luana traria uma toalha. Tirei a roupa, dei uma boa mijada e comecei a tomar meu banho. De costas não vi que Luana estava no banheiro segurando a toalha em suas mãos. O barulho da água escorrendo pelo meu corpo, a temperatura boa e meus pensamentos me traíram. Meu cacete ficou bem rígido. Comecei a punhetar silenciosamente já estava quase gozando quando percebi um movimento brusco e me virei. Estava Luana com a mão enfiada na calcinha batendo uma siririca e seu marido junto a ela com celular na mão filmando. No caso, entrei de gaiato no fetiche deles. -Passa-me toalha, por favor, Luana! -Passo, mas só se você me deixar pagar um boquete neste lindo e majestoso cacete! Olhei para seu marido e ele apenas levantou polegar sinalizando que estava tudo ok. -Pronto! Venha provar do meu cacete se é assim que vocês me querem, ...
    também vou querer do jeito de vocês! Luana com os olhos vidrados no meu cacete, esticou o braço me passando a toalha. Eu comecei a me enxugar e saí do box. A fiz sentar-se no vaso e com uma das mãos segurei em meu membro e forcei em sua boca. Ela puxou seu marido para junto e este tirou cacete para fora pela perna do short e ela começou a pagar boquete em nós dois. Era bem visível a diferença de tamanho de nossos membros, o meu 22 cm grosso e cheio de veias o de Eduardo não passavam de 18 e a cabeça era pequena. Luana segurava os dois cacetes chupando um e outro, meu cacete parecia um porrete já soltando uma babinha. Foi assim que Eduardo falou: -Vamos para um lugar mais confortável? Sem dizer nada Luana levantou-se e saiu rebocando eu e seu marido pelos cacetes. Era até engraçado! Mas como dizem quem está na chuva é pra se molhar! Fomos para o quarto do casal. Cama imensa cheia de almofadas. Ela sentou-se na beirada da cama, seu marido começou a tirar sua roupa e eu comecei a bolinar seus seios. Luana estava só com uma calcinha preta fio dental enfiada na regada. Fiquei como louco cheio de tesão vendo à marca de biquíni a xoxota ensopada. Colocamos ela deitada e caímos para cima de boca. Eduardo mamando os seios apertava os mamilos com os dentes, ela gemia, rebolando. Quando eu me aproximei, afastei a calcinha e vi seu grelo meladinho. Cai de boca como o cão sedento. Lambia e enfiava a língua como um louco ensandecido. Foi quando Eduardo deitou na cama e puxou sua mulher para ...