1. Armário de Corno 1/3


    Encontro: 21/12/2017, Categorias: Traição / Corno, Autor: faunorj, Fonte: ContoErotico

    que regras não possam ser quebradas." Fixando os olhos nos meus por um momento, deu uma piscadela lenta, lânguida, quase sensual.O resto do encontro foi acima das minhas expectativas. Conversamos sobre tudo, principalmente literatura, e principalmente contos.E então vieram os eróticos. Na verdade, 'erótico' é eufemismo. Os contos eram pornografia das mais explícitas, e todos sobre mulheres infiéis. Não que Marco tivesse algo contra; embora nunca houvesse escrito nada do gênero, afirmava ler de tudo, dos clássicos às bulas de remédio. Acontece que o primeiro conto pornográfico que lhe mostrei era justamente um exemplo típico do que ele mesmo apelidara de 'cross-dressing literário', com eu-lírico feminino unidimensional, título hiper-descritivo e linguagem saturada de adjetivos e advérbios de juízo de valor, julgando mais que jornalista e projetando safadeza em tudo, das abelhas no parque à chuva de verão. Isso ele me disse sem malícia, mas também sem dourar a pílula, como quem constata um fato. Era o começo de uma noite de terça-feira e estávamos sozinhos no seu consultório no Jardim Botânico, uma sala aconchegante imersa numa iluminação suave que me parecia o oposto do seu comportamento comigo, incisivo e direto."Por que todas as suas personagens femininas são vulgares e adúlteras?" perguntou sem rodeios."Todo homem foi, é ou vai ser corno."Ele pensou por um segundo."Ser corno é um estado de espírito. Tem menos a ver com o que a esposa faz do que com o que o marido gostaria ...
    que ela fizesse... Você fantasia sobre isso?""Lógico que não. Pensei que tivesse deixado clara minha intenção de criticar.""O tom crítico eu percebi. O que quero saber é por que você lê e escreve contos pornográficos sobre mulheres infiéis, se odeia pornografia e infidelidade feminina.""Pra ser um censor eficiente, tenho que pesquisar. E sobre a infidelidade, só estou...""Mostrando a vida como ela é?""Isso, e também…""Tentando entender a psicologia feminina..." murmurou com as reticências próprias dos psicanalistas e um sorriso pretensioso. Eu tinha que sair dali. Alegando estar atrasado para um compromisso, levantei-me, despedi-me e fiz menção de deixar a sala, mas no último segundo minha mão escorregou da maçaneta e meus pés deram meia-volta."É sério, eu...""Acredito em você."Repetiu a piscadela, parecendo acompanhar meus gestos sem o menor sinal de surpresa, como se eu fosse um dos seus personagens. Mudei de assunto: "Mas o que você achou da prosa?""Boa. Só que a cena de sexo não me convenceu.""Porque você não se interessa por contos de infidelidade.""Nada disso. Não é o que você descreve, é como descreve." Risonho, aproximou-se da estante e dramaticamente puxou pelo topo da lombada um livro de bolso de capa marrom, como se acionasse uma passagem secreta de filme noir. "O erotismo pode estar em qualquer lugar." Subtraiu-o da coleção e folheou algumas páginas marcadas com pequenas dobras no canto superior até achar a que tinha em mente. Olhando-me por cima dos óculos com um ...