1. Louco Amor TP2 CP13 - Nada como antes.


    Encontro: 21/12/2017, Categorias: Amor Gays / Homossexual, Romance, Briga, Tristeza, separação, Reformátorio, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Lipe, Fonte: CasadosContos

    Fala galerinha, tudo bem com vocês? Espero que sim. Bem, desculpem mais um vez, esse capítulo foi meio que difícil de elaborar, o mais difícil de todos até aqui, ficou um pouco grande até, mas espero que não esteja cansativo. Já disse que amo os comentários de vocês? Dos mais curtos aos mais longos, Cês não tem noção kk. Essa traição aí tá difícil de engoli em? Principalmente por ser com uma mulher, como assim??? Kkk É que eu achei mais apropriado já que retrataria uma possível volta as origens de Caio que era um pegador nato e também pra reforçar que com homens ele só tem olhos para Lucas rsrs, Esclarecido né? Espero que sim rs. Então vamos ao que interessa né. BOA LEITURA. LOUCO AMOR TP2 CP13 – Nada como antes. Não perdi tempo e fui ao seu encontro, nervoso e ansioso demais para pedi com licença, fui logo me sentando ao seu lado, ele imediatamente levantou o rosto e me analisou por alguns segundos antes de olhar para frente, suas expressões eram vazias, parecia não dormir há dias. _ Veio aqui para rir da minha cara? Vai em frente. _ Aquiles... você realmente acha que eu tenho vontade de fazer isso? Você realmente acha que eu não te amo? Os olhos dele se encheram de lágrimas e da sua boca ecoou um pedido que parecia ser do fundo da alma. _ Então me tira daqui. Me tira daqui, Lucas. O trouxe de encontro ao meu peito, lhe abracei forte e logo fui retribuído como há muito tempo não era, ele chorou, eu me emocionei e juntos compartilhamos nossos sentimentos. _ Porque você foi ...
    fazer aquilo? _ Eu estava com raiva, estava fora de mim... Mas não aconteceu da forma que lhe falaram. _ De que forma então? Pareceu que aquela pergunta lhe incomodou, pois ele logo me soltou e limpando as lágrimas disse: _ Pra quê quer saber se não vai acreditar? Ninguém acreditou. _ Se estou perguntando é porque vou acreditar no que vai me dizer. Ele me olhou meio que de soslaio e riu de lado como se não acreditasse no que estava ouvindo. _ Você é louco. _ E você é meu filho. _ Eu não... – ele parou no ultimo segundo e então respirou fundo. Ele ponderou as palavras pela primeira vez e isso era bom. Quer dizer, eu acho... – Eu pensei que só seria um susto. Quando eu estava lá e soube realmente o que iria acontecer eu quis sair fora, mas não pude, eles iriam me machucar... – ele olhou para mim. – eu fiquei com muito medo, eu fiz por medo, quer dizer, eu quase fiz, e não, eu não parei por causa da policia como disseram, eu parei muito antes, eu iria desistir, iria ajuda-los, eu juro que iria. Eu peguei na mão dele em cima da mesa de concreto e a balancei de leve. _ Eu acredito em você! _ Por quê? Se eu te trato tão mal? _ Amor de pai é incondicional, quando você for um, você saberá do que estou falando. Ele voltou a olhar para frente e com um sorriso leve no rosto disse: _ Se for pra ter um filho como eu, prefiro morrer sem saber. Primeiro que ele não me repreendeu e segundo, sem querer ele acabou falando entrelinhas algo que eu ansiava há anos, acabei ficando até sem ar com ...
«1234...13»