1. Quase um irmão


    Encontro: 21/12/2017, Categorias: Heterossexual, Autor: Karoline Abdo, Fonte: ContoEroticoComBr

    Eu tinha lá meus 15 para 16 anos, estava aflorando meus desejos. Só tinha transado com um menino apenas, mas tinha sido taaaao ruim. E nessa época as coisas em casa começaram a ficar dificeis, e eu tinha um amigo que estudava comigo que era tipo um irmão pra mim, mas ele saiu da escola e nos distanciamos, ai uma manhã eu acordei com meu pais brigando, e fiquei tão brava que me arrumei, peguei minha mochila e pensei em ir para a escola, mas no meio do caminho mudei de ideia e fui para a casa do Dé (meu amigo), chegando la ele ja tava saindo de casa, tbm para ir pra escola, e seus pais juntos. Cumprimentei todos e falei pro Dé que tinhamos que conversa e comecei a chorar, ele falou então pro pai dele e iriamos de pé, e disse pra ele ir com a mãe que ele sozinho comigo. Ele falou pra mim então “antes de irmos, vamos entrar pra ti tomar agua com açucar e me explicar essa história. Entramos e sentei na sala, enquanto ele foi pegar a agua, e comecei a ver as fotos que estava em cima da mesa do lado do sofa, uma em especial do Dé que me chamava muitoo a atenção, ja que ele era lutador, tinha ombros largos, braços fortes, cabelos lisos e compridos o suficiente pra ele ter que tirar de um modo sexy da frente dos olhos, aaah e aqueles olhos pretos, que faziam até uma lésbica querer beija-lo, ele então chegou e se sentou do meu lado. Comecei a contar oque estava acontecendo, e me lembrei que a ultima conversa que tivemos tinha sido no whatsapp e estávamos marcando de nos ver e fica. E ...
    quando terminei de falar ele me puxou pra perto dele (pensa na pegada que aquele guri não tinha), e me abraçou e parece que tudo aquilo tinha passado e meus problemas tinham sido resolvidos, então olhei pra ele, e não sei como nem porque, comecei a beija- lo e ele no mesmo instante retribuiu, e começamos a nos beijar de um modo lento mas começou a acelerar e as coisas começaram a esquentar. Ele me boto no colo dele e tirou a minha blusa, e a dele. Aquele membro dele, ja estava volumoso o bastante pra eu cavalgar mesmo por cima de tanto tecido entre a gente. Ele tirou meu sutiã com agilidade e começou a mordiscar e beijar, então comecei a beijar ele de novo e fui abaixando, beijei o pescoço, depois aquela barriga sarada, até que cheguei no meu destino, olhei pra ele com cara de safada e começei a tirar sua calça, ja tirei a cueca junto e salto pra fora um dos maiores penis que tinha visto, todo depiladinho, e lembrei que tinha halls preto na mochila então peguei e comecei a chupar aquele pau, como uma criança que estava morrendo de fome e ganhou uma mamadeira. Chupei gostoso, enquanto ele gemia alto e fala “chupa gostoso, vai maninha, não é assim que eu te chamo, vai mana, chupa com força, teu mano aqui vai secar suas lagrimas. Vaaai, isso aii, sua cachorra, sua safada, sei que era isso que tu queria, me chupar gostoso” ate que ele gozou na minha boca, e lambi cada gotinha, ele me olhou com uma cara de safado e disse “agora é minha vez de retribuir o favor”, e começou a mamar ...
«12»