1. Ela foi visitar o namorado… e rolou bonito!


    Encontro: 20/12/2017, Categorias: Teens, Autor: kaplan, Fonte: ContoEroticoComBr

    (escrito por Kaplan) Como já relatei em outra ocasião, minha sobrinha Paulinha estava namorando o Tales, que morava com a mãe, que sabia que os dois transavam e nem se incomodava que eles o fizessem na casa deles. Até incentivava, como a Paulinha me disse algumas vezes. Outro dia, ela esteve na casa dele. A mãe do Tales estava saindo, falou que ele estava tomando banho, que ela entrasse e ficasse à vontade. Que sogra fantástica, pensou Paulinha. Estava de shortinho e camiseta, pegou essa mania da tia Meg. Fechou a porta, assim que a sogra saiu e foi até o banheiro. A porta estava fechada e ela resolveu assustar o Tales, esmurrando a porta e gritando para ele abrir. Quando ele abriu a porta, ela viu uma cara apavorada. Ele nem imaginava o que poderia ter acontecido para ouvir tantas pancadas na porta. Estava só com uma toalha amarrada na cintura e se assustou mais ainda quando ela ameaçou enchê-lo de porrada. Fechou a mão e ficou desferindo golpes no ar, como se quisesse acertar o rosto e o corpo dele. Mas ela não aguentou a brincadeira por muito tempo, começou a rir e ele então descobriu que não era nada sério. Mas iria ficar imediatamente, porque ela suspeitou que debaixo da toalha não tinha mais nada, então tirou-a com um safanão e viu que estava certa. Lá estava o saudoso pau dele, que ela gostava tanto de chupar. E foi o que fez, ajoelhando-se na frente dele, pegando e pondo na boca e dando um belo tratamento, como ele gostava, aliás! Estavam no corredor e ele ficou ...
    preocupado. – Oi, Pa… e a mamãe, tá aonde? – Saiu e nos deixou sozinhos. Vamos aproveitar! Ele colocou o pau entre os seios dela, suspendendo a camiseta, ela pegou no pau e ficou encostando-o em seus biquinhos e depois voltou a chupar. Chupou bastante, depois foi a vez de ele se ajoelhar, ela ficar em pé, ele afastar o shortinho para o lado e lamber sua bucetinha, enquanto suas mãos passeavam pelas pernas dela, depois ele liberou a mão direita para poder enfiar o dedo na bucetinha. Ela pediu um tempo, tirou o shortinho e deixou toda a região livre para ele chupá-la mais à vontade. Teve de se apoiar na parede do corredor para não cair, pois suas pernas ficaram bambas devido ao efeito que a língua dele lhe provocava. Voltou a chupar o pau dele. Ela gostava demais de chupar. Outra herança da tia Meg. Depois dessa chupação toda, nada melhor que ser comida, ali mesmo, em pé, apoiando-se na parede do corredor e recebendo o pauzão dele em sua xotinha por trás. Ah… delicioso! E ele segurava nos seios dela e bombava sem parar. Ela curvava o corpo e se comprazia toda e receber aquelas estocadas que pareciam perfurar-lhe o útero. Não demorou muito a experimentar aquele gozo fantástico que caracterizava as transas com o Tales. Ele era, realmente, muito bom trepador. E ela agradeceu dando-lhe mais uma chupada daquelas! E ele agradeceu a chupada com uma nova metida na xotinha dela, ali mesmo, com ela quase caindo ao chão, porque suas pernas estavam bambas, totalmente bambas. Ele não parava de ...
«12»