1. Paulo Cabral Cap.12


    Encontro: 18/12/2017, Categorias: fofo, Romance, Paixão, Conversa, Beijo, jantar, Alegria, Namoro, Historia, Homens, Amor, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Gustavinho, Fonte: CasadosContos

    Cap.12 Quando eu ouvi aquilo, parecia então que o tempo havia parado. Havia só eu e ele ali. Só nós dois, e eu sem saber o que dizer e fazer. Não sabia nem o que pensar. -Namorar ? -É... - de repente então ele pegou na minha mão, fazendo eu olhar para as nossas mãos juntas. Em seguida eu subi o meu olhar novamente e o vi, com seus cabelos balançando com o vento – me diz, porquê não ? Eu gosto de você... Sei lá, é tão especial o que eu sinto por você... Eu nunca conheci alguém como você... Alguém que seja gentil o tempo todo, que ame as crianças tanto quanto eu, que saiba cozinhar... Em nenhum momento do meu casamento eu cheguei a sentir algo assim pela minha ex-esposa. Eu prometo que eu posso fazer você feliz... -Eu sei disso – falei, olhando nos olhos dele. Mas, meus pensamentos fizeram eu separar a minha mão da dele – eu não sei é se eu tenho capacidade de te fazer feliz... -Mas porquê ? - o perfume dele chegava ao meu nariz aquele momento. Olhava para o chão, ao redor. Respirei fundo. -Porque eu nunca fui amado por ninguém Marcos... Eu nunca amei ninguém... Além do Gabriel, eu nunca fiz ninguém feliz... Depois de tudo o que eu passei, eu não sei se eu teria capacidade de te fazer feliz nesse momento... - fiquei quieto olhando o mar ir e voltar, até que senti uma mão tocar o meu rosto. -Deixa eu te ensinar a amar então... - ao ouvir aquilo, meu coração apertou -Marcos, eu... - de repente então ele me roubou um beijo novamente. Não mostrei reação nenhuma. Pelo contrário, eu ...
    agradeci. Porquê eu não precisei dizer nada. Ele tomou a atitude por mim. E eu conseguia ver a felicidade vindo de novo pra mim. Passei minha mão pela cintura dele e me deixei ser beijado. -Namore comigo Paulo... E verás como é ser amado... - parei de pensar naquele momento e deixei meu rosto invadir o pescoço dele. -Tudo bem Marcos... - dei um forte abraço nele – juro que vou te fazer feliz... TEMPO DEPOIS Era a primeira noite depois daquele pedido, e eu não sabia aonde enfiar a felicidade enorme que eu estava a sentir e estava a sair de mim. -Paulo, porquê você está querendo que eu me arrume ? - Gabriel perguntava, enquanto eu passava a roupa dele. -Porquê nós vamos sair oras... -Sair ? Pra onde... -Nós vamos sair pra jantar com o Marcos querido... - falei, jogando a camisa na direção dele. -Ah é ? Marcos anda próximo de você né... -É... Ele é uma pessoa especial pra mim Gabriel... - falei, sempre com a sutileza a tratar deste assunto -É mesmo ? -É MINUTOS DEPOIS Por volta das 20hrs, ele bateu a porta do meu apartamento. -Oi – falei eu, assim que abri -Oi... - ele estava lindíssimo, e acompanhado de Leandra como sempre – nós podemos ir ? -Claro que sim – falei eu, sorrindo... MINUTOS MAIS TARDE Já no restaurante, eu e ele sentamos lado a lado e as crianças a nossa frente. -O que você quer comer Gabriel ? - perguntava eu... -Qualquer coisa Paulo... -Tem certeza ? -Tenho... Agora a gente pode ir brincar ? -Tá bom... Mas cuidado ein... - no restaurante tinha um espaço para as ...
«12»