1. NO AVIÃO


    Encontro: 18/12/2017, Categorias: Com Fotos, Fantasias, Autor: ContadoradeContos, Fonte: ContoEroticoComBr

    Em uma viagem de negócios, Paulo já acostumado a rotina do avião, sentou-se em seu lugar, e notou uma linda loira ao seu lado, ela parecia ansiosa, e comentou com ele que essa seria sua primeira viagem aérea. Ana, a jovem, empolgada, não parava de conversar e puxar assunto, Paulo, um homem maduro já pensou em tirar vantagem daquela oportunidade, e puxou assuntos e mais assuntos amenos. Começou a tocar Ana, de forma sutil, nos ombros, braços, e quando Ana notou, ele segurava firmemente suas duas mãos. Enquanto sua outra mão deslisava suavemente em suas coxas, para cima, para baixo. Ana repreendeu-o, porém seu olhar entregava a excitação de uma aventura, que sua viagem pedia. Ana levantou-se para ir ao banheiro. Paulo a seguiu, e entrou com ela naquele ambiente pequeno e apertado, trancou os dois pra dentro. Ana ficou com medo, mas assim como o medo, a excitação do momento se apresentou. Ela perguntou o que ele queria, e ele respondeu: “Não é obvio? Você!”, e deu-lhe um beijo de tirar o folego. Enquanto apertava vigorosamente sua bunda, macia e firme, por conta da tenra idade. Ana tentou uma resistência, mas sucumbiu, sentiu suas pernas tremerem e ceder ao beijo gostoso e a boa pegada do homem mais velho e experiente, que sabia o que fazer. Assim que sentiu que havia acabado a resistência de Ana, e que ela estava entregue aos seus desejos, Paulo a transformou num fantoche. Virou-a de costas, e enquanto mordia e acariciava sua nuca, subiu sua saia e baixou sua calcinha. Ana ...
    derretida pela condução de Paulo, apenas acompanha seus movimentos, enquanto se deliciava e gemia de forma sutil a cada novo passo de Paulo. Assim que abaixou a calcinha de Ana, Paulo abriu sua calça e colocou seu pau, que estava latejando de tanta excitação, para fora e o encaixou na bunda de Ana, entre as nádegas, e enquanto Ana sentia seu membro e rebolava, para leva-lo até sua buceta, que já implorava por aquele pau, Paulo acariciava seus seios, fazendo-a delirar e pedir pelo seu pau. Paulo sabia que Ana estava latejando e quis aumentar sua doce agonia, e virou-a de frente, subiu-lhe a blusa, e chupou-lhe os seios, mordendo delicadamente seus bicos, só para aumentar seu desejo, Ana, que já tinha suas pernas abertas, e sua buceta encharcada, pedindo por um pau dentro, gemia cada vez mais, e movimentava-se, erguendo o quadril e buscando pelo membro de Paulo. Paulo abaixou-se e lambeu muito lentamente a bucetinha de Ana e sentiu-a estremecer, com um gemido longo e suave, como um agradecimento por este carinho, então, sentindo que seu pau também estava pedindo um carinho, colocou-o, muito lentamente dentro da bucetinha de Ana. Ana sentiu a pressão lenta do pau, firme e grosso de Paulo, e gemeu, tendo espasmos de prazer, gozando com a primeira estocada dele. Gemeu e contorceu-se enquanto Paulo estocava, cada vez mais fundo e mais rápido, gozando também, naquela bucetinha, apertada, que certamente, não havia se entregado à muitos. Os dois voltaram aos seus lugares, aonde as ...
«12»