1. O que a vida me ensinou - Parte 25


    Encontro: 17/12/2017, Categorias: irmão, Revelação, adoção, felicidade, Amizade, Dor, Filhos, Amor, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Juca, Fonte: CasadosContos

    - Como? Falo sem entender como Joaquim espera que eu faça um acordo depois de tudo que escutamos. Além dos crimes que elas cometeram, essas vagabundas me fizeram separar do meu amor e pior ainda, Fernanda trará um filho meu ao mundo ao qual eu não desejei, do qual eu não consigo sentir afeto mesmo sabendo que já existe e é um ser sem culpa dessa merda toda. - Isadora leve todos a minha sala com descrição, por favor, sirva algo e não permita que ninguém saia - Fala Quim olhando para Fernando - até meu irmão e eu juntarmos a vocês. - Sim senhor - Isa está com o semblante totalmente fechado, como a conheço tão bem sei que ela quer voar no pescoço dessa maldita família que só serve para destruir minha paz. - por favor, me sigam e você nem ouse abrir a boca perto de mim para defender a puta da tua irmã. Depois de todos terem deixado minha sala consigo enfim desmoronar. Afrouxo o nó da gravata, pois sinto como se tivessem garras prendendo meu pescoço, garras daquela puta maldita da Fernanda. Vou até sofá onde antes Pat e Fernando se encontravam e me jogo deitado, cubro meus olhos com minhas mãos e simplesmente grito. - AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!! Não aguento a pressão que meu peito faz contra meu corpo e sinto as primeiras lágrimas escorrendo. Porque tudo tem que ser tão fodido para mim? Sinto as mãos grossas de meu irmão retirando as minhas de meu rosto, inclino minha cabeça para o lado e vejo os olhos de meu irmão me encarando, o mesmo ...
    olhar doce que ele me deu no dia que eu quebrei o dente de um menino sem querer, me martirizei tanto me culpei com tanta força. - Juca... Odeio te ver assim. - diz secando algumas lágrimas ainda vagantes em meu rosto. - eu sei que tudo está um caos nesse momento, mas eu nunca te abandonei antes e não pretendo fazer isso agora maninho. - Quim fala me olhando e só sinto vontade de chorar. sei que não sou frágil, mas porra que é uma droga de um filho que eu não queria. - Eu não queria essa criança, Quim - falo fechando meus olhos, é vergonhoso, mas é a realidade e não consigo falar isso encarando meu irmão - eu não quero caralho nenhum de filho além dos meus com o cara que será meu marido. eu não quero um filho vindo daquela mulher. - Juca eu sei que não é fácil aceitar, mas você não pode abandonar essa criança. - Eu sei que eu não posso. - falo agora abrindo meus olhos - mas se eu não consigo me imaginar olhando essa criança e tendo amor por ela, como eu posso esperar que Mel sinta algo por uma pequena parte de alguém que ferrou a vida dele várias vezes? como eu posso força-lo? como eu posso me forçar a amar essa criança? - Juca... - fala com o tom de voz compadecido. - Eu sei Quim. É uma dor desgraçada saber que irei ser pai e não há felicidade alguma nisso. - falo sentindo-me derrotado - eu vou ficar com a criança, a Fernanda não terá chances contra mim. - mas uma vez encubro meus olhos, mas agora por raiva - QUE MERDA!!! - Que houve? - fala Quim espantado pelo meu urro. - Eu ...
«1234...7»