1. Ele via a vizinha na piscina, só não sabia que ela gostava de ser vista!


    Encontro: 16/12/2017, Categorias: Exibicionismo, Autor: kaplan, Fonte: ContoEroticoComBr

    (Escrito por Kaplan) Não sou apenas eu que exerço dignamente a “profissão” de voyeur! O Kléber, aquele que morava num condomínio e vivia arrastando a Meg para lá para fazerem as safadezas, me contou que via uma vizinha quase todo dia se banhando na piscina, tomando sol com biquínis minúsculos, fazendo topless às vezes. Era tão gostosa, e tão interessante o que ele via, que até comprou um binóculo para apreciar melhor o espetáculo. – Imagina, outro dia ela chegou na piscina, com um dos biquínis pequeníssimos que ela tem, sentou-se de frente para a minha casa. É bem verdade que minha casa fica protegida por altas árvores, mas entre uma e outra dá para eu ver o que se passa na casa vizinha, não sabia se ela me via… Mas como eu dizia, ela sentou e começou a arrumar o sutiã do biquíni e simplesmente colocou um dos seios pra fora, eu o vi por inteiro! Depois ela sentou com as pernas dentro da piscina e ficou fazendo carícias nos seios e os dois ficaram pra fora, belíssimos! Aí deitou, com a bunda voltada para minha casa. Cara, que bunda maravilhosa, gordinha, o biquíni era fio dental, eu via a bunda praticamente inteira! Ficou deitada ali um tempão. Eu já estava quase desistindo de ver algo mais, quando ela se levantou, virada para minha casa ela arrumou o sutiã, escondendo os seios. Fiquei intrigado: por que ela estaria agindo assim? Será que alguém teria ...
    aparecido por lá? De fato, era isso, vi ela conversando, apesar de não ouvir nada do que ela dizia, e nem podia ver com quem ela conversava. Demorou um pouco na conversa e depois voltou a sentar-se, passou protetor no rosto, nas pernas, nos braços, na barriga. E aí veio o lance mais interessante de todos: ela abriu o sutiã de novo e ficou com os dois seios totalmente virados pra mim. E começou a fazer sinais, como se estivesse me chamando. Não entendi. Ela me via? Estava me chamando? Para ter certeza, eu fiz um gesto tipo “é comigo”? e ela fez o sinal de positivo com os dedos. Criei coragem e fui lá, ela me recebeu com sorrisos. – Tem gostado do que vê? – Tenho sim, gostado demais! Seu corpo é lindo! – Obrigada… mas você é daqueles que se contentam em ver? – Depende… você é daquelas que se contentam em mostrar? Quando ela respondeu que de forma alguma ela se contentava só em mostrar, você sabe o que aconteceu, transamos loucamente ali na beirada da piscina. E agora, Kaplan, você deve estar se perguntando a razão de eu te contar isso. É que com esse caso iniciado, vou dar um descanso pra Meg… você explica pra ela? – Explicar eu explico, mas se eu a conheço, você pode esquecer, ela nunca mais vai transar com você, ela não gosta de ser trocada assim, no meio de um caso tão interessante e gostoso como é o de vocês. Realmente, Meg nunca mais quis saber dele!
«1»