1. Naquele dia ela só queria dar o rabinho


    Encontro: 14/12/2017, Categorias: Teens, Autor: kaplan, Fonte: ContoEroticoComBr

    (escrito por Kaplan) Minha sobrinha Helena pediu meu apê emprestado para transar com o namorado. Era algo que já estava ficando quase corriqueiro. Mas eu não me incomodava. Eu ficava o dia inteiro fora, que mal havia em deixar ela e as outras sobrinhas usufruírem do apartamento? Claro que sempre recomendava que fizessem o mínimo de barulho para que os vizinhos não viessem a reclamar. E depois eu me deliciava com os relatos que elas me faziam… e eu gostava de todos os detalhes, e elas não se furtavam a me contar. Naquele dia, ela me disse que tinha ido com um minivestido, sem sutiã e com calcinha preta, uma sandália também preta, cabelos soltos. O namorado, como quase sempre acontece, estava com a roupa do dia, não se preocupara em aprontar. Homens! Ela me disse. Chegaram, ela deu uma olhada geral no apartamento, ele ficou estirado no sofá da sala. Aí ela chegou até ele, praticamente deitou-se sobre a parte alta do sofá e foi encher de beijos o namorado. Beijos, beijos e mais beijos, ela pousou a mão sobre o pau dele, por cima da calça jeans, viu que o pau já estava em posição de sentido, então sentou-se no braço do sofá, abriu as pernas e ele pôde ver a calcinha dela, que tratou de tirar imediatamente para começar a lamber-lhe a bucetinha, deixando-a com muito tesão. Ela retribuiu a chupada com um boquete admirável que levou o namorado à loucura. E ele falou: – Hoje vou arregaçar essa perereca sua! – Vai não… hoje só quero atrás! – Ora essa, pode ...
    ser as duas coisas… – Não, hoje é só atrás. Estou com muita vontade e é só lá! Vendo que a decisão dela era irrevogável, ela já estava até com uma pomada nas mãos para ele usar, ele não teve jeito. Passou bastante em seu pau e no cuzinho dela, ela ficou de quatro no sofá e ele foi vagarosamente enfiando. Ela deu um gemido de dor, mas logo que a cabeça entrou toda, a coisa transcorreu com mais tranquilidade e ela pôde usufruir das bombadas que ele lhe dava. Mas quis cavalgá-lo também e ele a atendeu. Deitou-se no sofá e ela foi sentando, e sentindo a vara dele entrar devagar em seu cuzinho. E cavalgou bastante. Quando ele sentiu que ia gozar, preferiu tirar e gozar na bundinha e nas costas dela. Ela pediu e ele trouxe papel higiênico para limpar suas costas, não queria que nada escorresse para o sofá, que, aliás, era novo, eu comprara não tinha um mês! Foram tomar banho e lá no chuveiro ele voltou à ativa e manifestou vontade de come-la, mas ela disse que só atrás! Fazer o que? Ele sentou-se no chão do boxe, ela sentou-se de novo sobre ele, deixando o pau escorrer para dentro de seu cuzinho e cavalgou-o novamente, até ele tornar a gozar, dessa vez dentro dela. Satisfeitos, terminaram o banho e foram embora. Ela deixou um recado que viria mais tarde para me contar, o que de fato aconteceu. Aí eu perguntei se comigo também iria ser só atrás, ela riu e disse que outro dia, estava até com dificuldade para sentar depois do que acontecera naquela tarde.
«1»