1. Thithi et moi, amis à jamais! Capítulo 138


    Encontro: 14/12/2017, Categorias: Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Amigos, Irmãos, Familia, Amor, Verdadeiro amor, Alma Gêmea, Filha, filha linda, Sohpie, bruno, Bruno e Antoine, Romance, Festa, comilança, Amigos reunidos, felicidade, Viados, os melhores viados, amor incondicional, Autor: Antoine G., Fonte: CasadosContos

    OIIIIIIIIIIIIIEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE, PESSOAS BONITAS!!! Volteiiiiiiii!! Volteiiiiiiiiiiii!!! Volteiiiii!!! Não queiram minha linda cabecinha, pfv!!! Eu sumi por que eu entrei na reta final do meu mestrado e tá uma coisa de louco. Finalizar uma dissertação com dupla orientação (eu fiz metade do meu mestrado na França e metade aqui no Brasil, então, eu tenho dois orientadores, o que não facilita nada minha vida) não é de Deus!! Bom, vocês acham que eu dei um spoiler com meu comentário no capítulo anterior, mas não dei não. Vocês não fazem ideia do que vem por ai.... Eu voltei, mas infelizmente não poderei publicar todos os dias. Virei três vezes na semana, tá? Segunda, quarta e sexta. Publicarei às 22h, que é o horário que eu consigo fazer alguma coisa. Nas próximas semanas estarei indo para a França para finalizar minha dissertação e em breve será minha defesa, se Deus quiser já já eu me livro desse mestrado e tenho minha vida de volta. Kkk Um meeeeeeega beijo em todos vocês. Boa leitura! ###### Eu fiquei deitado tentando brincar com a Sophie, mas meus olhos pesavam. Eu deixei o Bruno dormir um pouco, mas quando eu não aguentava mais eu o chamei para ficar um pouco com ela. Eu tinha esperanças dela querer dormir um pouquinho, pois ela tinha dormido tarde no outro dia, mas me enganei feio. Ele acordou e foi ao banheiro, quando ele retornou e pegou a Sophie eu dormi rapidinho. Quando eu acordei nenhum dos dois estava no quarto. Eu fui ao banheiro, tomei um banho demorado, ...
    vesti uma roupa leve, passei meu hidratante e desci. Quando eu estava descendo os degraus da escada, eu vejo o Bruno brincando com a Sophie na sala. Estavam somente eles dois lá, não tinha sinal de ninguém na casa. Dudu e Pi com certeza ainda deveriam estar dormindo. Era lindo vê-los daquele jeitinho. Eu sempre amei ver os amores da minha vida brincando. Bruno era um pai maravilhoso para a Sophie, como marido então nem se fala. Ele amava ficar com a família, amava ficar conosco. Ele estava cumprindo o que ele havia me prometido uma vez, ele seria o pai que ele não teve. Eu sentei em um dos degraus da escada e fiquei observando os dois. Ele andava para um lado e a Sophie ia engatinhando até ele, ele adorava fazer nossa filha de cachorrinho. Ele pegava os brinquedinhos dela e começava a chacoalhar, ela ficava toda afoita. Em um momento, ele a pegou no colo e começou a joga-la para cima. Nessa hora, eu levantei e fui até eles. - Bruno! Não faz isso com ela! – Eu sai correndo – E se joga a menina no chão? Tá maluco? – Eu disse pegando a Sophie no colo - Deixa de ser bobo, vida! Onde que eu ia jogar minha filha no chão? – Ele disse rindo - Tu não jogarias, mas acidente existe, né? A dona Sophie só dava gargalhada, ela adorava as maluquices do pai. - Olha como ela tá rindo! - É maluquinha que nem o pai! - Não tô afim de ficar em casa, vamos dar uma volta? - Que horas são? - 14h - Tudo isso? - Sim! - A Sophie já comeu? - Já! - Pra onde tu queres ir? - Não sei, vamos dar uma volta pela ...
«1234»