1. A atendente rockeira


    Encontro: 14/12/2017, Categorias: Fantasias, Autor: danadinhosafado, Fonte: ContoEroticoComBr

    Olá, tenho 26 anos e toco bateria numa banda de rock. Por isso, acabo passando diversas vezes numa loja aqui na minha cidade de instrumentos musicais, para comprar algumas coisas para mim e para o resto da banda, ou só para dar uma olhada nas novidades da loja. Pois bem, uma garota maravilhosa começou a trabalhar recentemente nessa tal loja: por volta de 20 anos, ruiva, cheia de sardas, baixinha, magrinha, com algumas tatuagens, óculos, estilosa e com cara de safadinha. Não tinha como esconder meu interesse. E ela percebeu meus olhares logo na primeira visita à loja. Mas naquele primeiro “encontro”, tudo o que obtive foi o seu nome: Camila. A loja estava cheia, e ela precisava atender outros clientes, ainda mais por estar começando, era bom mostrar serviço. Voltei na semana seguinte com a desculpa de olhar umas peles para minha bateria, e dei sorte de ser atendido por ela. Descobri que ela também gosta das mesmas bandas que eu e é vocalista de uma banda só de meninas. Cada vez mais, meu interesse era maior por essa delícia. Acabei comprando uma pele para minha bateria e me despedi dela lançando um olhar que eu senti ter sido retribuído. Então voltei e perguntei que horas ela saía do trabalho e descobri que era as 19:00 mesmo, horário que a loja fecha. Voltei na outra semana perto do horário da loja fechar e entrei para dar uma olhada nos itens novos que eles tinham lá. Dessa vez, não dei a sorte de ela me atender, foi um outro rapaz que me atendeu. Mas vi que ela lançou ...
    alguns olhares e sorrisos maliciosos na minha direção. Saí e aguardei uns 10 minutos até a loja fechar, e nesse tempo começou a chover. Não sabia se era sorte ou azar, mas estava prestes a descobrir. Assim que ela saiu, ainda sem me ver, vi sua raiva com a chuva que estava caindo. Resolvi agir: – Ei Camila, tudo bem? – Ai, quase tudo né… essa chuva foi só pra foder comigo! Tenho que ir até meu apartamento sem guarda-chuva, fica uns 20 minutos a pé. – Ah, eu estou de carro, te levo lá… se são 20 minutos a pé, deve ser só 5 de carro, não custa nada. – Tem certeza? Não quero incomodar – Ah, nem incomoda não, vem comigo. Entramos no carro e olhei e vi seu rosto levemente molhado pela chuva que pegamos até entrar no carro. Não sabia que era possível, mas ela ficou ainda mais sexy. Que delícia de mulher. Fomos conversando sobre música até chegar no prédio dela, e dei uma investigada: – Você mora sozinha? – Quase… na verdade divido com uma amiga, mas ela está fazendo um curso a noite e eu trabalho de manhã e de tarde, então praticamente não nos vemos. – Hmm, e que tal se a gente ouvir umas músicas no seu apartamento então? Ela deu um sorriso bem safado e um olhar penetrante, e era tudo o que faltava pra me deixar de pau duro. Saímos do carro e subimos até o apartamento dela. Já não estava aguentando mais de tesão, resolvi que ia agir assim que entrássemos: – Não liga não pra bagunça, duas meninas podem ser uma destruição total para um apartamento. – Como se eu ligasse pra isso. Você sabe ...
«123»