1. Meu Chefe Pagou pelo Meu Cusinho!


    Encontro: 11/12/2017, Categorias: Virgens, Autor: gogofredo, Fonte: ContoErotico

    Meu nome é Marta, e as coisas que vou relatar aconteceram a mais de 04 anos.Tinha acabado de completar 18 anos e já namorava o Marcos ha um ano. Ambos éramos evangélicos e nos respeitávamos muito, de maneira que eu ainda era virgem. Pretendíamos nos casar em no máximo um ano, por isso eu precisava comprar meu enxoval e alguns móveis, visto que moraríamos num cômodo e cozinha na casa de meus futuros sogros.Eu trabalhava como auxiliar de recepcionista numa pequena empresa, e recebi meu primeiro cartão de credito, que acabou me causando os embaraços pelos quais passei. Por ser de família simples e humilde, que nunca pudera comprar nada, acabei gastando em demasia, procurando comprar roupas e utensílios de casa para meus pais e irmãos, não bastasse isso, confiei numa nova amiga de empresa e emprestei-lhe o cartão, aumentando ainda mais minha divida.Como disse, minha família era simples e humilde, alem de muito honesta, ficaria mal perante toda a congregação se soubessem desse meu deslize. Tudo isso e muito mais eu acabei desabafando para a Antonia, secretária da empresa onde trabalhava. Confiei nela como nunca confiaria numa irmã de igreja ou parente. Pensei até que ela tivesse falado algo para nosso chefe, mas depois acabei descobrindo que ele ouvira nossas conversas através do interfone da mesa da Antonia que havia permanecido ligado sem percebermos.Um dia depois da nossa primeira conversa, a Antonia foi encarregada de sair para comprar alguma coisa particular pro chefe, de ...
    maneira que fiquei no seu lugar por um tempo. Daí o seu Osvaldo, nosso chefe, me chamou em sua sala.Assim que entrei fiquei acanhada perante aquele homem que praticamente nunca olhou para mim, um senhor de 43 anos, mais de 1,80 m de altura, cabelos grisalhos, olhos castanhos, corpo de esportista, divorciado e sacana.Seu Osvaldo mandou que eu me sentasse, enquanto folheava alguns documentos numa pasta. Começou então a dizer que tinha minha ficha em suas mãos e um relatório de todas as dividas que eu havia contraído no cartão de credito. Aquela situação era inadequada para os funcionários da empresa, e que comprometiam a reputação da empresa, dessa maneira ele estava pensando em me demitir. Falou ainda que teria que comunicar minha família e que eles também seriam responsabilizados pelas dividas, podendo perder a casinha simples que possuíam e que era seu único bem.Eu fiquei em pânico, comecei a chorar desesperada, tentando explicar o que tinha acontecido e a vergonha que seria para meus pais, meu noivo e a congregação. Seu Osvaldo parecia se deliciar com meu desespero e depois de um tempo disse que iria pensar em alguma coisa que pudesse fazer para consertar as besteiras que eu fizera. Mandou que eu voltasse para meu lugar, mas não comentasse com ninguém a nossa conversar, pois se eu comentasse ele seria implacável e me poria na rua imediatamente e eu que agüentasse as conseqüências. Assim o fiz, e esperei o dia seguinte chegar.Deixe-me antes de continuar, me descrever como eu ...
«1234»