1. Iniciado pelo Pai Beto Dominador no cinema porno


    Encontro: 11/12/2017, Categorias: Sadomasoquismo, Autor: putosubimisso, Fonte: ContoErotico

    Moro no extremo Norte do Brasil, em Belém do Pará. Próximo a linha do Equador, costumamos brincar de que a cidade está mais próxima do Sol, tamanho o calor que faz aqui na região. E acho que esse clima afeta também as pessoas. O desejo aqui é quente, muito quente. Quero deixar claro de que este é um relato real.Tenho 32 anos, 1,80 m de altura, moreno, forte e de pernas grossas. Já vivi longos relacionamentos, mas confesso que encontrei companheirismo, mas nunca alguém que tivesse realizado muitos desejos mais apimnetados. Após o término do meu último e mais long (seis anos juntos) resolvi cair na pista e tentar ser mais ousado ao realizar meus desejos e fantasias. Mesmo assim, foram rara as vezes em que tenha encontrado um BOFE com B maiúsculo que tenha suprido esse desejo por testosterona, esse vazio de macho que me atormentava. Trabalho no centro da cidade e nessa região tem um antigo cinema de filmes eróticos, conhecido por cine Ópera, em frente a Pç. Santuário. Local de frequentado por muitos homens casados, ali seria um dos locias onde, avidamente, estava à procura deste macho alfa que tanto me fazia falta.Segunda feira, dia 25.04, me livrei do trabalho cedo e resolvi sair para dar um passeio. Ao passar na frente do cinema, não resisti a tentação e resolvi entrar para ver se encontrava alguma ação interessante. Passei algumas horas naquele ambiente escuro e cercado de vultos de pessoas que se masturbavam e me encaravam, mas nenhum me chamava a atenção. Todos pareciam ...
    efeminados e buscando o mesmo tipo de diversão que eu procurava.O único cara que me interessou parecia estar ocupado levando um belo boquete. Alguns minutos depois, desisti do local e me levantei em direção a saída, quando me chamou a atenção um figura imponente, máscula e poderosa, com a camisa de botão aberta, sentada em direção de um grande ventilador. Era o mesmo homenzarrão que me chamara a atenção antes. Parecia estar se recuperando do calor e da ação em que estava imerso anteriormente. Caminhei até a saída e retornei. Não me contive. Foi mais forte do que eu. O que poderia acontecer? No máximo uma resposta negativa.Sentei-me primeiramente há duas cadeiras ao seu lado e paralisei. Fiquei realmente nervoso. Era incrivelmente masculino, em sua pose, eu seu comportamento, seus traços brutos e o principal, coberto por uma manta de pêlos e testosterona, do jeito que deixaria qualquer um que sabe apreciar um bom macho, completamente desnorteado. Resolvi então encará-lo. Foi quando ele se dirigiu a mim e me permitiu que me aproxima-se. Num tom jocoso, eu disse: "Não dê o dedo, que sou daqueles que quer o braço todo". Ele calmamente respondeu: "Então chupa aqui o sacão do papai, chupa!", enquanto colocava pra fora um pau imponente e um farto e delicioso saco, o qual não me contive e me ajoelhei para brincar com as bolas. Pude ver no seu rosto que ele gostou de como eu era guloso e conseguia colocar ambas as bolas em minha boca, enquanto brincava com a minha língua nelas. Ele não ...
«123»