1. Tive que comer o Cu da minha Netinha (Conto de Incesto com vídeo)


    Encontro: 10/12/2017, Categorias: Heterossexual, Anal Incesto Avô e Neta Coceira no Cu, Autor: Vovô Eraldo (Secret Island), Fonte: CasadosContos

    Moro na casa da minha filha e ela tem uma filhinha lindinha de 18 anos mas extremamente safadinha. Depois que ela acabou com o namorado toda noite é a mesma coisa... É uma gemeção e uma sucessão de gritinhos que começam lá pelas 11 da noite e se extendem até uma da madrugada. Minha mulher dorme um sono profundo e os pais da netinha idem. Só eu que fico acordado, mas não quero me meter pois não é da minha conta. . Ontem fui jogar cartas com um grupo de amigos da minha idade e voltei pra casa tarde da noite. Entrei no quarto e já tinha tirado as calças, quando a gemeção começou. Pensei: Não vou conseguir dormir assim... Melhor eu ir ver o que está havendo. . Pé ante pé fui até o quarto da minha neta e a porta estava entreaberta. Pela fresta eu a vi de quatro sobre a cama enfiando um dedo no próprio ânus e gemendo. Não parecia de dor, mas de prazer ou de aflição. Meu pau começou a endurecer com aquela cena, como há muito não fazia.. Acho que minha última trepada com minha mulher foi há uns 4-5 anos atrás. Quanto mais eu a via se masturbar analmente, mais o pau crescia e se enrijecia... Começou a doer de tão duro e não me contive. Entrei no quarto devagarzinho. . Ela me viu e eu pensei que fosse dar um pulo da cama por estar naquela posição na minha frente, mas em vez disso me olhou docemente e disse: . - Ai vovô .. que vergonha.. mas estou aflita... - O que foi minha querida.. Que que tá acontecendo... - É que sem o namorado eu não tenho quem me coma e eu estava acostumada a ...
    levar na bundinha com frequência, e agora.. na seca meu cu fica pedindo rola e fica coçando desesperadamente. Eu ainda tento enfiar os dedinhos mas não são iguais a um pau. Morro de aflição.. Me ajuda vovô, pooooor favor.... - Tá bom.. Vou meter o pau mas só um pouquinho pra ver se passa, tá ? . Cuspi na ponta do meu pau, duro como o de um garoto de 18 anos e enterrei com cuidado o meu mastro no cu da garota. Caramba como aquilo estava quente. Fervia o túnel dela por dentro. E estava justo demais pro meu pobre cacete de velho, mas acabou entrando e foi até o talo. Só meus ovos grandes ficaram de fora. Ela continuava gemendo e pedindo que enfiasse com mais força... . A um certo momento, tirei o pau e sentei do lado dela, perguntando se tinha melhorado. Ela disse que não, que ainda coçava muito. Então eu disse que ia dar mais uma tentada e aplicar meu ferro de carne outra vez no buraquinho traseiro dela. . Meti-lhe então a rola com mais vontade naquele cu juvenil e me esqueci que era avô dela. Lembrei meus velhos tempos de garanhão comedor de cu das meninas da vizinhança e meti bala pregas a dentro. Só então senti que ela estava diminuindo a gemeção e nesse momento gozei farto nos intestinos da minha garotinha. O leite quentinho deve ter provocado o efeito desejado pois só então ela parou de gemer, me olhou por cima dos ombros e disse: . - Vô.. Você é o cara.. Conseguiu fazer passar minha aflição. Te adoro muito.. Faz de novo amanhã a noite ? - Ihhhhh, menina.. isso não tá ...
«12»