1. Recebendo outra visita de um amigo


    Encontro: 12/10/2017, Categorias: Traição / Corno, Autor: kaplan, Fonte: ContoEroticoComBr

    (escrito por Kaplan) Meg estava divertindo-se na internet quando recebeu um telefonema. Era um velho amigo, queria visitá-la e perguntava se poderia ser naquele momento, pois estava bem perto. Ela ficou feliz com a oportunidade e disse que ele poderia ir sim. Não se passaram 15 minutos entre o telefonema e o toque na campainha da porta. Ela mal tivera tempo de colocar uma saia e uma camiseta (pois estava só de calcinha quando ele telefonou!). Chamava-se Luiz Paulo este amigo e foi recebido com muita alegria. Havia tempos que os dois não se viam. E em tempos de outrora já tinha rolado um sexo casual entre eles. E o Luiz Paulo, solteiro, como disse, lembrou-se da amiga e resolveu aparecer. Sentaram-se no sofá da sala e ficaram conversando. Havia muita coisa a contar. E como a Meg nunca foi de cerimônia, logo estava com as pernas em cima do sofá, e mostrando suas belas coxas para o Luiz Paulo, que não conseguiu ficar normal. Volta e meia ele levava a mão ao pau, e Meg percebeu que o “bichinho” já devia estar bem duro. Pelas atitudes dele, ela sacou que ele a procurara para sexo. E não se incomodava com isso. Afinal, amigas são para essas coisas! Então ajoelhou-se no sofá, pôs a mão direita na coxa do Luiz Paulo, a esquerda no ombro dele e fez ele lembrar-se do sexo casual de outrora. E só foi observando como a calça dele estufava. Resolveu parar de tesar o pobre rapaz. Tirou a roupa dele. Ele deixou, não opôs resistência alguma. E menos ainda quando ela pegou em seu pau e ficou ... brincando com ele, colocando-o de um lado para o outro, até sentir que estava na rigidez máxima. Então fez-lhe o boquete que ele gostara tanto da outra vez. Com alguns melhoramentos que ela adquiriu com a prática… o que o deixou alucinado. Depois de ser chupado bastante, ele tirou a camiseta e a saia dela. Cada peça que ele tirava desnudava um pedaço do corpo dela que ele beijava e chupava também. Para concluir, colocou-a curvada, apoiando os braços no sofá, tirou a calcinha e passou a mão no bumbum da Meg. E do bumbum as mãos desceram pelas coxas, pelas panturrilhas, subiram e atingiram a xoxota. Foi a vez dele usar a língua, lambendo a xoxota dela e fazendo-a gemer. Aproveitando a posição, meteu na xoxota, por trás e ficou bombando. – Ah, Meg, lembrei, você gostava de cavalgar. Ainda gosta? – Hum…hum… gosto muito! – Então senta aqui na minha piroca! Ele sentou e ela sentou por cima e pôs-se a pular freneticamente, sentia que seu gozo estava para acontecer, como, de fato, aconteceu alguns minutos depois. Extenuada, ela caiu para o lado e verificou que o pau do Luiz Paulo continua rígido. – Quer lá atrás? – Se quero! É o que mais quero! Lembra que seu cuzinho foi o primeiro que comi na minha vida? – Lembro… foi muito legal… então, aproveita! Ele aproveitou mesmo. Enfiou o pau no cuzinho da Meg e foi lá que ele gozou. Tomaram um banho e voltaram para a sala, onde conversaram mais um bom tempo. Depois ele se despediu e ela ameaçou: – Se você ficar meses sem aparecer, desista, ...
«12»