1. Se no primeiro encontro eu broxei, no segundo...


    Encontro: 12/10/2017, Categorias: sexo; desejo; tesão; coroa; jovem, Heterossexual, Autor: Magrao4950, Fonte: CasadosContos

    Demorei muito para terminar esse conto, mas andei afastado da escrita e andei vivenciando experiências que pretendo ir contando aos poucos. Apesar do caso ter ocorrido alguns anos atrás, ele foi certamente um dos momentos mais especiais da minha vida sexual e por isso lembro de detalhes até hoje. Penso que sexo bom de verdade é esse, que quando menos esperamos revivemos aqueles momentos e somos capazes de lembrar de detalhes, sensações, desejos e quem sabe alguém para viver algo parecido. Beatriz e eu experimentamos ótimos momentos juntos, embora não tenha sido um ótimo primeiro encontro, aquele momento fez com que nossa relação passasse a ter mais do que desejo carnal, mas vontade de dar prazer ao outro, uma espécie de carinho além do sexual. Após essa experiência, tivemos vários encontros e embora hoje não more mais em Curitiba, as mensagens provocativas ainda chegam ou saem de nossos celulares. Continuando a experiência pós broxada! Penso que embora não seja a melhor situação para um homem, lidar com a frustração da mulher é tão difícil quanto a aceitação da falha. Em um primeiro encontro, com provocações de todas as maneiras, não dar conta do recado é possibilitar a sensação de que ela não é atraente, que só na imaginação ela poderia atrair você, o que não é verdade. Sendo assim, meu desafio nos dias posteriores foi o de conversar, explicar e dizer que nada tinha a ver com ela (o que era verdade) e que meu desejo era de encontrá-la e fazer com que todas nossas fantasias ...
    fossem realizadas. Beatriz é uma mulher segura e experiente, ela sabia que qualquer um poderia falhar, mas feliz ninguém fica, então fomos retomando nossos papos quentes, provocações durante o horário de trabalho para que ela virasse o vulcão de desejo que ajudei a explorar até então e que com minha boca, língua e mãos pude ajudar a reduzir o desejo de ser mulher, mas que ainda precisava sentir meu desejo através do meu sexo. Marcamos um novo encontro, cheguei sem graça, porém mais animado do que a semana que se passou desde nosso primeiro encontro. Um bar, ela estava com uma calça de couro, bota e uma blusa que mostrava seu colo e o início de um decote atraente, seus seios são lindíssimos e só de ver percebi que nosso encontro seria diferente. Pedimos uma cerveja e um petisco, começamos conversando amenidades sobre nossa semana, e o som ambiente foi deixando mais leve e nossas cadeiras se aproximaram. Estava um pouco receoso, mas ao me aproximar e começar a trocar beijos com ela, o hálito quente, as línguas entrelaçadas e a sensação de entrega ao beijo que ela me dava, sentia que tudo o que faltou no primeiro encontro ficou para trás, não tinha mais falta de desejo, estávamos ali juntos, entregues. Terminamos de tomar a cerveja e comer a porção, ela me perguntou se queria outra ou preferia outro tipo. A resposta foi: não vamos esperar mais por algo que desejamos a tanto tempo. Pagamos a conta, já abraçados e trocando beijos como um casal e pedimos um táxi, fomos pra minha ...
«123»