1. Boquete no posto de enfermagem.


    Encontro: 12/10/2017, Categorias: Grupal, Autor: jolu, Fonte: ContoErotico

    Trabalho em um hospital no RJ a mais de 5 anos, meu primeiro contato na empresa depois de aprovado no processo seletivo foi com um psicólogo ( Jean ) de uns 23 anos + ou -, alto, moreno claro, olhos castanhos claros e um rosto muito bonito. Como sempre fui pé atrás com psicólogos, pelo motivo de achar que eles estão sempre nos avaliando, não dei importância a sua aparência, até por que para mim, aquele cara era um tremendo pegador de mulheres, e não dar bola para mim, um bissexual, casado ( esposa não sabe ) de baixa estatura, calvo, que na época tinha 43 anos, ou seja 20 anos à mais que ele. Pois bem fui muito bem atendido por ele e logo em seguida, comecei as minhas atividades de téc. de enfermagem na empresa. Às vezes encontrava com ele na cantina do hospital, conversávamos muito sobre vários assuntos, o principal era sempre sobre mulheres, logo fiquei que ele já comido uma porrada de colgas minha de profissão, então estava confirmado as minhas suspeitas, ele era mesmo um pegador de gatas. o tempo passou. um belo dia, e põe belo nisso, estava eu na clínica cirúrgica, que neste dia estava apenas com 3 pacientes, plantão tranquilo, quando Jean apareceu na porta do posto, começamos então uma conversa agradável onde ele disse ter saído com uma gostosa ( posso dizer gostosa, afinal sou ...
    bissex, rsrs)que no calor da batalha acabou mordendo o pau dele, derrepente senti uma vontade enorme de ver aquele pau, então perguntei se ele queria que eu desse uma olhada, depois de perguntar fiquei meio sem jeito, pois ele emudeceu, já estava me arrependendo da pergunta quando ele sorriu e entrou no posto, fomos para o segundo cômodo onde diluíamos medicações, mas antes tratei de trancar a porta. Ele encostou na pia e eu puxei uma cadeira, me sentei bem na frente dele e pedi para abaixar as calças, aí então contemplei aquela delícia de caralho, era lindo, de cor rosada, realmente estava com uma pequena lesão, disse que lavaria com soro fisiológico, segurei o pau dele sem luva mesmo e tudo aquilo começou a crescer na minha mão, passei um pouco de soro e ele começou a alisar a minha cabeça, então percebi que não podia perder aquela oportunidade e cai de boca naquele pauzão que já devia estar com uns 20 cm, mamei com vontade, o tesão era tanto que nem me lembrava mais da lesão naquele KCT, eu só queria mesmo era chupar engolindo aquilo tudo, paguei esse boquete por uns cinco minutos até ele encher a minha boca de porra, depois da gozada ele se abaixou e disse no meu ouvido, vem na minha sala na hora do almoço, topei na hora, mas o resto contarei depois. O VIDA BOA DE HOSPITAL, rsrsrsrsr.
«1»