1. Dei para o namorado da minha sobrinha. PARTE 1


    Encontro: 12/10/2017, Categorias: Coroas, Autor: melhor, Fonte: ContoErotico

    Sou Marina, tenho 47 anos, sou morena, um pouco gordinha, tenho coxas roliças e seios bem grandes, casada e mãe de uma filha de 18 anos.Está história se passa lá em casa quando minha sobrinha Sabrina,uma loira de 22 anos, trouxe seu novo namorado Rodrigo para conhecer a família. Rodrigo era um rapaz de 19 anos, alto, do tipo atlético, um pouco tímido em primeiro momento mas logo descobri que de tímido ele não tinha nada. Sabrina chegou com o jovem rapaz em minha casa e eu estava sozinha,minha filha estava na escola e meu marido que é um auditor renomado estava viajando.Em casa fico mais a vontade, no dia vestia uma camisa branca sem sutian por baixo, e um short jeans, tinha lavado roupa a alguns minutos por isto minha camisa estava um pouco molhada e como era um dia mais frio, os biquinhos do meu peito estava bem acesos, o que percebi logo que chamou atenção foi jovem Rodrigo, por um segundo fantasiei que na cabeça daquele jovem ele me desejava mas logo voltei comigo mesma pensando ser impossível pois minha sobrinha era tão jovem e bem gostosa.A converça tava boa, foi quando Sabrina ...
    decidiu ir buscar umas cervejas deixando me a sós com Rodrigo.Percebi que ele ainda estava hipinotisado com meus seios, e pra provocar dei uma lisada de leve no meu seio, oque fez Rodrigo arregalar os olhos e logo um volume subi na bermuda dele, então passei a mão na minha virila e ele já se levantou e me puxou a seu encontro e me deu um beijo e já me virando de costas para ele ele baixou me short arredou a calcinha pro lado, colocou meu pé no sofá esem preliminares nem nada já foi enfiando aquele membro duro na minha xoxota, ele me pediu desculpas pela grosseria pois Sabrina não ia demorar.No começo doeu um pouco pois não esperava isto, mas logo ele ja estava dentro de mim e foi muito gostoso, ele apertava meus seios e me estocava com força aí veio o jato inundando minha perereca de porra quente. Estávamos excitados mas paramos por ali, Sabrina trouxe as cervrjas e em certo momento Sabrina foi ao banheiro aproveitamos para trocar telefones. Depois deste dia sempre trocavamos mensagens até que conseguimos marcar um dia de se ver sem impensilios, mas isto é a segunda parte deste conto.
«1»