1. Foi ajudar uma amiga e se deu bem...


    Encontro: 11/10/2017, Categorias: Casal, Heterossexual, Autor: Marido Sortudo, Fonte: CasadosContos

    Foi ajudar uma amiga e se deu bem... Olá amigos minha intenção aqui é relatar os casos “extraconjugais” de minha esposa, que foram vários, e como estamos juntos desde que ela tinha seus 15 aninhos, eu ou os presenciei ou escutei da boca dela os detalhes de cada um deles. Minha esposa perdeu o cabacinho (comigo) logo no começo de nosso namoro. Aos 15 anos de idade ela já tinha um corpo bem definido, um belo par de seios e uma bunda, marca registrada dela e sonho de consumo de vários homens, maravilhosa e toda arrebitada, costumo dizer que a natureza foi generosa com ela, pois o formato de sua bunda proporciona um anal maravilhoso, coisa que ela faz questão durante o sexo, pois como disse em outro conto ela só goza sendo enrabada. Desde cedo nós já tínhamos a vontade de levar uma vida liberal, é claro que quem tomou a iniciativa de falar sobre o assunto foi eu, surpresa minha quando ouvi da boca dela que ficava muito excitada quando, junto com suas amigas, assistiam a filmes pornôs em que a mulher transava com dois homens, e ela sentia uma curiosidade imensa de saber qual seria a sensação de ter dois machos em cima dela preenchendo seus maravilhosos buraquinhos, digo buraquinhos porque nesta época ela ainda estava muito pouco rodada. (rsrs). Como podem ver nossos gostos eram iguais e nosso novo estilo de vida estava traçado, mas querer é uma coisa e fazer é outra bem diferente. O tempo foi passando e a falta de oportunidade se mostrava sempre presente, nós íamos contornando ... nossa vontade com pequenas brincadeiras, até bem inocentes perto do que fazemos hoje, íamos ao mato durante o dia para transar, às vezes na praça da cidade ela pagava um boquete para mim, sempre fantasiando que poderíamos ser vistos. Até que em um dia fomos ao motel com outro casal de namorados (ela era muito amiga na minha esposa cresceram juntas, estudavam juntas, portanto não tinham segredos entre si), mas somente transar no mesmo ambiente, e foi neste dia que surgiu uma oportunidade que ela não deixaria passar e não deixou. Depois de nossa festinha as duas amigas foram se ajeitar no espelho (coisas de mulher) e eu fiquei conversando com o rapaz, eu percebia que as duas ficavam com risadinhas a toda hora, mas não dei muita bola, afinal deviam estar se gabando da loucura que acabaram de aprontar. Então ficaram prontas e fomos embora, morrendo de fome afinal...passamos para comer um lanche levamos os dois para casa e fui levar minha esposa (lembre-se na época namorada) para a casa dela. Na frente da casa dela paramos o carro ficamos de bobeira um pouco até que ela veio me abraçou com uma carinha de malandra dizendo que tinha tido uma ideia enquanto conversava com a amiga dela. Ela me disse que no banheiro a amiga confidenciou que o namorado dela vivia pedindo para comer o rabo dela, mas ela não tinha coragem, pois seu namorado era muito bem dotado especialmente na grossura, já tinham tentado por três ou quatro vezes mas nem a cabeça ela aguentou, eu fiquei até curioso com essa ...
«1234»