1. Matando a saudade do amigo gostoso


    Encontro: 10/10/2017, Categorias: Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Amigos, Sexo, Amor, Autor: Daniel, Fonte: CasadosContos

    Terminei minha faculdade de relações internacionais e consegui uma bela oportunidade de vivenciar uma experiência fora do Brasil. Fique por um ano nos Estados Unidos, foi sem dúvida um upgrade interessante para minha carreira. A parte ruim é que senti falta de muita coisa, uma delas do meu melhor amigo, o Thomás. Eu sou o Daniel, tenho 29 anos, moro em Maceió-AL. Sou moreno, tenho cabelos pretos e lisos, olhos claros cor de mel, sou liso e magro, tenho 1,75 de altura e peso 70kg. Quando retornei ao Brasil, já havia recebido vários convites de emprego e estava bem animado. Não contei do meu retorno pro Thom, ele sabia apenas que retornaria nas próximas semanas. Cheguei em casa, revi toda a família e desfiz as malas. No final da noite, peguei a chave do carro e dirigi em direção a casa do meu amigo. Thom mora sozinho, ele vivia com uma mulher, mas não deu certo por causa de traição. Ela foi capaz de largar meu amigo por um marginal. Coisas de mulher sem noção. Chegando na casa dele, chamei pelo seu nome na calçada em frente a sua casa. Achei por um instante que ele não estaria. Quando estava para desistir vi a luz se acender pela janela da sala. Quando ele abriu a porta, ele entrou em choque. Soltou um palavrão e veio correndo pra abrir o portão. -Eae meu brother? Falei com entusiasmo. Ele não me respondeu, foi trancar novamente o portão e me conduziu até dentro de casa. Lá dentro, ele ficou parado me olhando, como não acreditasse no que os olhos viam. Eu estava louco para dar ... um abraço apertado nele, mas estava esperando a reação dele terminar. Thom era mais alto que eu um pouco, mais forte (não necessariamente malhado, apenas com um porte físico maior). Tinha os cabelos claros quase loiro, que cobria toda a testa. Seus olhos eram verdes, sua pele branca e lábio bem finos. Eu e Thom éramos amigos desde que nos lembramos. Contamos tudo um ao outro. Era mais que amigo, era meu irmão e falávamos abertamente que amávamos um ao outro. Se uma namorada não gostasse do outro, não daria certo, brincávamos que teriam que levar o pacote inteiro, namorado e melhor amigo do namorado. Quando o susto passou, Thom veio ao meu encontro e me abraçou e praticamente me pegou no colo. Eu também não queria soltá-lo, estava com saudades e quase não falamos nada, apenas ficamos ali abraçados. Thom logo começou a chorar, percebi pela sua tentativa de enxugar os olhos, eu tentei zoar, mas ele me interrompeu: -Saudades de você meu irmão. Ai quem chorou fui eu. -Não quero te largar. Disse ele depois de um tempo. Não precisa, temos tempo para matar a saudade. Ficamos muito tempo ali, em pé, quase na porta da sala. Abraçados, sentido o cheiro do outro. A certa altura, eu pude sentir que o volume de sua bermuda havia aumentado, mas a minha cueca estava quase estourando. Eu nunca fiquei com outros caras, acho que o Thom também não. Evidentemente que brincávamos de punheta quando menores. A rola do Thom não é grande, mas é bem grossa e ele tem um saco grande e bonito. Ele desde ...
«123»