1. As aventuras da pequena Érica na praia


    Encontro: 09/10/2017, Categorias: Heterossexual, Autor: marcoslira, Fonte: ContoEroticoComBr

    Oi pessoal, sou a Érika, e desde a última vez vez que escrevi sobre meu desejo pelo meu pai, não cheguei a concretizar minha fantasia. As vezes ainda penso nisso, e de propósito ainda faço questão de me exibir pra ele sempre que tenho a oportunidade, mas claro, de forma quase inocente… KKK Quero contar uma coisa bem legal que aconteceu comigo há alguns meses. Meus pais resolveram tirar umas férias e viajamos para a praia, em porto de galinhas. Ficamos em um Resort bem legal. Meus pais compraram um pacote de viagem, e ficamos lá 6 dias. Foi muito legal, e quente. Meus pais queriam conhecer a cidade, e o hotel indicou um guia para nos mostrar o lugares e costumes do povo de lá. Então o gerente fez uma ligação e dai a pouco chegou um rapaz, ele se apresentou e o nome dele era Luiz. Saímos para conhecer os pontos turísticos da região e ele era muito legal, atencioso com todos e muito bem humorado. Achei nosso guia muito gato. Adoro caras mais velhos, como vocês já sabem. Ele aparentava ter uns 25 anos. Ele tinha um corpo comum, umas tatuagens nos dois braços e um rosto muito bonito, apesar do sotaque engraçado. Mas não dei nenhuma bandeira, porque estava junto com minha mãe e meu pai também. Além disso, para um cara de uns 25 anos eu devia ser só uma menina, quase criança. Ele saiu conosco por dois dias. No final do segundo dia, já a noite, fomos para um restaurante dentro do Resort. Para mim estava um tédio, mas meus pais pareciam estar se divertindo. No final das contas minha ... mãe bebeu uns drinks a mais e ficou de porre, e meu pai estava mais soltinho do que de costume. Estávamos em quartos separados, e ainda bem, porque não estava nem um pouco afim de ouvir eles trepando. E nessa noite sei que o bicho ia pegar naquele quarto. Acordei cedo e fui tomar um café da manhã sozinha porque não queria interromper o sono deles, e queria me sentir independente também. Acho que já tenho idade suficiente pra sair por ai sozinha. Quando voltei do café da manhã caprichado que comi, passei pelo saguão e vi o Luiz e ele também me viu. Perguntou pelos meus pais e dai ficamos conversando por ali mesmo. A conversa era muito natural, como se nos conhecêssemos a muito tempo porque ele era muito simpático. Em uma parte da conversa perguntei sobre a vida na comunidade onde ele vivia, ele me contou que antes eram quase todos pescadores, mas agora direta ou indiretamente todos trabalham pro resort. Ele disse: – Conheço muita gente todos os dias. Mas nunca tenho tempo suficiente pra fazer amigos. Eles. vêem num dia e alguns dias depois já se vão. Nessa hora senti pena dele. Não sei porquê, mas pessoas solitárias me atraem. Ele perguntou se meus pais deixavam eu sair sem eles eu respondi que era claro que sim, eu nem precisava pedir. O que era uma mentirinha. Dai ele me chamou para conhecer uma praia ali perto, que era muito boa. Fomos andando e conversando, nem vi o tempo passar. Depois de um tempo descemos por uma trilha acidentada e chegamos numa prainha linda e longe dos ...
«1234»