1. A vizinha me fez uma bela surpresa!


    Encontro: 09/10/2017, Categorias: Traição / Corno, Autor: kaplan, Fonte: ContoEroticoComBr

    (escrito por Kaplan) Sou um voyeur. Assumidamente voyeur. Não me envergonho de contar que fico observando prédios vizinhos, à procura de alguma vizinha incauta que se esqueça de fechar as cortinas quando vai trocar de roupa. Tenho um binóculo possante para isso. E já vi que algumas pessoas são exibicionistas de verdade, fazem questão de deixar tudo aberto para quem quiser ver. E há as recatadas, que só consigo ver se elas se esquecem de fechar as cortinas. O prédio onde moro tem uma grande área de lazer, com piscina, fitness e uma pista de Cooper. E foi nessa pista que comecei a ver, todas as manhãs, uma moradora do prédio, sempre com trajes provocantes. Shorts minúsculos, camisetas superdecotadas, ela fazia questão de se mostrar. E eu não iria decepciona-la, fazia questão de observá-la. Com o tempo eu percebi que ela já tinha me visto espionando-a. Tanto é que fazia questão de parar bem em frente à janela da sala do meu apartamento e fazer seus alongamentos sensuais bem ali. E sempre com um sorriso maroto nos lábios. Uma dessas manhãs, eu estava a postos com meu binóculo. Ela andou, correu e depois parou para fazer alongamento. Nessa hora resolvi arriscar, mexi na cortina e vi que ela tinha olhado. Deixei que ela visse que eu estava admirando-a com o binóculo. Ela ficou ali uns cinco minutos, depois se retirou. Guardei o binóculo para espioná-la no dia seguinte. Mas tive uma surpresa. A campainha soou, fui ver… e era ela! Pensei que ia levar uma bronca, que ela vinha me ... ameaçar… mas tive de abrir, ela sabia que eu estava em casa. Então abri a porta, convidei-a a entrar. Ela não estava com cara de brava, então relaxei. – Bom dia, vizinho. Apesar de morarmos aqui, tão perto, ainda não nos conhecemos, sou a Ofélia, do 302. E você é…? – Sou o Kaplan, que moro no 803. Ela sorriu. – Pois é… estamos morando há tanto tempo aqui e nunca nos vimos, ou melhor, você me vê todo dia, não é? Seu binóculo parece potente. Posso dar uma olhada com ele? – Claro. Passei para ela, ela foi até a janela e observou pessoas lá na pista de Cooper. – Puxa… é mesmo… que visão você tem de mim, hem, vizinho? Senti que o clima ia ficando cada vez mais favorável. – Magnífica, devo dizer que você é a única que faço questão de observar de manhã cedo. – Provavelmente isso é uma mentira sua, mas vou fazer de conta que acreditei piamente. Sabe que gostei de ser observada, não sabe? Não é sem querer que eu paro sempre ali, não é de hoje que te manjo. – Espero que não tenha ficado incomodada… – Se tivesse, meu caro, era meu advogado que viria te visitar. Se vim eu, é porque eu gosto de ser admirada, e percebi que você é um admirador fiel. Gosto disso. Cheguei por trás dela e a abracei, pegando em seus peitos e mordendo sua orelha. Ela se entregou facilmente. Já foi arrancando a camiseta, o short, a calcinha. Que mulherão surgiu à minha frente. Seios deliciosos e eu mandei a boca imediatamente neles, enquanto minhas mãos seguravam a bunda dura e a apertavam. Frenética, ela arrancou ...
«123»