1. Lembranças do meu avô


    Encontro: 08/10/2017, Categorias: Incesto, Autor: coroapraiana, Fonte: ContoErotico

    Olá, me peguei hoje lembrando de como eu comecei a gostar de uma jeba grande e grossa!Isso aconteceu há mais de quarenta anos atrás...Meus avós moravam em um pequeno sítio numa cidade praiana. E todas as férias do meio e fim de ano, íamos todos para lá passearmos. Eu sempre acordava cedo, porque o silêncio era quebrado pelo galo cantando anunciando o dia, os passarinhos em seus ninhos, os bezerros chamando pela mãe. Eu acordava, me levantava e ia para a cozinha, aonde o meu avô já se encontrava fazendo o café. Ele era um homem de aproximadamente 70 anos, magro, sério, e não gostava de falar muito. Ele sempre dormia com uma cueca “samba-canção”, sem camisa por causa do calor, e assim ele levantava para fazer o café diariamente._ Oi querida, já acordada? Estou preparando um café...e colocava mais uma xícara, leite, queijo, tapioca e se sentava para saborear o seu café e me ver comendo. Comecei a degustar o meu café e inadvertidamente, derrubei o garfo que eu usava para espetar a fatia de queijo. Me baixei, levantei a toalha da mesa, apanhei o garfo e sem querer olhei para as pernas do meu avô. E percebi que a perna da sua cueca era muito folgada, e saia “algo” para fora. Fiquei pensativa...e meu avô perguntou:- O que houve Carol...você ficou tão calada??- Nada não vô!Aí ele desenrolou o seu papel para fazer um cigarro e após isso, começou a dar longas baforadas. E eu derrubei de novo o garfo, dessa vez à propósito. Dei outra olhada na “coisa mole” dependurada pela borda da ...
    cueca. Me levantei e saí. Passei o dia brincando com meus irmãos e primos...mas de vez em quando me pegava pensando naquela “coisa” que saía pela cueca do meu avô. Será que os pintos dos meninos também cresciam assim? Porque o pinto do Júlio meu primo, que tinha a minha idade, era bem pequeno. Uma vez eu vi, quando ele foi mijar fora da piscina. No outro dia, acordei mais cedo que o meu vô e fiquei esperando por ele, sentada no banco na cozinha. Escuto o arrastar dos pés dele e olho logo para sua cueca. Ele não me viu, pois foi logo direto para o fogão colocar a água para ferver o café. Eu via aquela coisa se jogando para lá e para cá, quando ele andava. E cada vez a minha curiosidade se aguçava mais...- Bom dia vô!- Bom dia Carol, você já anda por aqui??É que eu acordei cedo, e vim logo tomar café. E te ver...ele me olhou rápidamente e continuou os seus afazeres. Ia e voltava, tirando as louças do armário, alimentos da geladeira e colocando na mesa. E eu de olho “duro” na sua cueca. Como era bonita aquela “dança”...parecia uma valsa, prá lá e prá cá!Ainda bem que ele não percebeu nada! Com o café pronto, ele sentou e começou a beber o seu café. E eu de pronto derrubei a minha caneca com o leite e café. Me levantei rápidamente...para ele continuar sentado.- pode deixar vô, eu limpo. E corri para pegar um pano , me enfiei debaixo da mesa, e comecei a limpar o chão. E fiquei olhando aquela cobra que me fitava...que bonito os seus olhos. Pareciam me chamar...parei de limpar o chão e ...
«1234»