1. A Dor de um Segredo - Capítulo 7


    Encontro: 07/10/2017, Categorias: Traíções, Namoro, psicopatia, Amor, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Bruno Del Vecchio, Fonte: CasadosContos

    ...CONTINUANDO - Pois não! Conte-me o que você quer saber. – Falou Kelven. - Que história é essa que o Bernardo é seu irmão. Que ele quer se vingar da minha família e principalmente o que ele fez com você. Eu quero respostas e não enrolações. - Muito exigente você, mas tudo bem... Vamos ver o que posso fazer por você. - Estou esperando você falar. – Falei. - Eu e o Bernardo somos irmãos. – Falou olhando em meus olhos. - Mas vocês não se parecem em em nada. – Falei surpreso. - É que ele é adotivo. Eu sou o original de fabrica. Entende? - Hum... Sei... Conte-me mais. - O Bernardo descobriu que eu sou apaixonado por você e ele tem inveja de tudo o que eu quero e de tudo o que tenho. - E porque você afirma que ele causou o acidente que matou os seus pais? - Porque eu tenho certeza de que foi ele! Ele descobriu que só ia ter direito a 20% dos bens no testamento dos meus pais. - Hum... E o que foi que ele fez com você? Pra você ter trauma. - Isso é muito pessoal! Você quer ir lá pra casa? – Indagou ele - Se é muito pessoal eu quero saber. E quanto a ir pra sua casa nem pensar. Sabe de uma coisa? Você tá é querendo me enrolar achando que eu vou dar pra você. - Estou é? Não sabia! – Falou com ar de deboche - Cansei! Levantei da mesa e sai do restaurante. Quem ele pensa que eu sou? Puta eu só sou na cama. Cara folgado... A melhor coisa que faço é me manter distante dos dois. Fui caminhando até em casa e graças a Deus ele não veio me seguindo. Abri a porta da sala, acendi a lâmpada ... e fui lentamente subindo a escada rumo ao meu quarto. Ao entrar em meu quarto qual não é a minha surpresa. Sentado em minha cama estava ele. Bernardo Costa. - Mas que merda é essa? O que você está fazendo aqui? – Falei fechando a porta. - Senti saudades de você e resolvi te fazer uma surpresa. - De muito mal gosto! Eu já disse que devemos ficar longe um do outro. Será melhor pra mim e pra você. Ele se aproximou de mim e eu procurei recuar. Seu perfume era doce e inebriante. Ele foi se aproximando mais e mais. - Pare ai ou eu... eu... - Você o quê? Você não vai resistir aos meus encantos né? Ele me encurralou na parede, esticou os braços e o apoiou na parede bem ao lado do meu rosto. Olhei para ele e seus olhos brilhavam. Eu confesso que minha vontade era o agarrar e amá-lo. Ele foi se aproximando para me dar um beijo, mas eu me abaixei e me livrei de seus braços. Ele me agarrou por trás e quando eu estava prestes a gritar ele tampa a minha boca com sua mão. - Psiiiiu... Quietinho... Seja um bom menino. – Falou ele beijando meu pescoço. Ele colocou a mão dentro de minha bermurda e acariciou meu órgão sexual. Eu me arrepiei todinho. Sabia que acabaria não resistindo ao seu poder de sedução e dominação. - Eu sei que você me quer... E sei que estás mentindo em relação a sua “doença”. - Me deixa em paz... Eu não te quero... Quero sim! Que você suma da minha vida. Ele por ser maior e mais forte me mantinha refém em seus braços. Eu me esperniei, mas não consegui me livrar dele. - ...
«123»