1. Um amor inesperado na faculdade - Quarta temporada 06


    Encontro: 07/10/2017, Categorias: Romance Gays / Homossexual, Amigos, Revelação, cunhado, Família, Universidade, Teens, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Rafa Velaskes, Fonte: CasadosContos

    Maria Lúcia:- Pode até ser meu filho, mas o importante é que ele te ama, ele deu carinho, amor, sempre foi um ótimo pai pra você e para a sua irmã. Caio:- E se eu dissesse que sou gay, será que meu pai continuaria me amando? Maria Lúcia:- Mas você não é gay meu filho, não tem nada que impeça você se entender com seu pai. Caio:- Engano seu mãe, eu sou gay sim. Maria Lúcia:- Caio isso não é hora pra brincadeiras meu filho, eu vim aqui pra ter uma conversa séria contigo... Caio:- E quem disse que eu estou brincado mãe? Eu nunca falei tão sério na minha vida. Maria Lúcia:- Você está me dizendo que você é... Caio:- Sim mãe. Eu sou gay, sempre fui. Maria Lúcia:- Caio pelo amor de Deus não me fale isso nem brincando, você esta dizendo isso pra proovocar seu pai mas isso não vai prestar meu filho... Não é provocando ele que você vai conseguir resolver essa situação. Caio:- Mãe é verdade, eu sou gay...não estou falando pra provocar ninguém, eu sou gay. Pela primeira vez na vida eu assumi isso, e estou me sentindo como se tivesse tirado um peso das minhas costas. Maria Lúcia:- Meu filho não pode ser, e todas aquelas garotas que você pegou... eu vi, ninguém me falou, várias vezes eu vi você com meninas, você sempre falava na mesa sobre as meninas que você pegava lembra? Várias vezes eu impliquei com isso meu filho... Caio:- As meninas eu pegava pra que você e meu pai não desconfiassem do que eu realmente era, a maioria delas nunca ia além do beijo, aliás nem me lembro quando foi a ...
    última vez que eu transei com uma mulher, porque eu não sinto tesão por nenhuma delas... Maria Lúcia:- (Chorando) Não pode ser meu filho, isso é mentira... Você sempre foi homem, nunca teve jeito de gay. Caio:- Mãe existe jeito de gay? O fato de eu não ser afeminado como o Pedro não quer dizer nada, isso são rótulos que a sociedade criou. Maria Lúcia:- Eu não posso acreditar, eu não consigo acreditar. Caio:- (Pegou seu celular e abriu o aplicativo) Olha essas conversas mãe, são de um aplicativo de encontros que eu tenho. Maria Lúcia leu duas ou três conversas e caiu no choro, um choro de culpa, de desespero. Não tinha como não admitir, seu único filho era de fato gay as evidências falavam por si só. Caio:- Agora acredita em mim? Maria Lúcia: Meu filho onde foi que nós erramos? Quando você decidiu ser gay? Caio:- Mãe ninguém decide ser gay, a gente já nasce assim. Você acha que se eu ou a maioria dos gays pudessem escolher, nós não escolheríamos ter uma esposa, uma família de acordo com os padrões da sociedade? Mas infelizmente ninguém pode escolher, desde pequeno eu sempre senti atração por homens e cresci sufocando isso dentro de mim, quantas vezes eu chorei sozinho porque tinha que viver encenando um teatro pra vocês, para os meus amigos. Você se lembra da única vez que eu briguei na escola quando eu tinha 13 anos? Maria Lúcia:- (Chorando) Me lembro sim, até fui assustada pra escola... mas o que isso tem haver com você ser gay? Caio:- Eu me lembro como se fosse hoje, naquele dia ...
«1234»