1. Sobrenatural Cap.5


    Encontro: 06/10/2017, Categorias: fofo, Romance, Paixão, descoberta, tiroteio, praça, Beijo, dia, Conversa, casa, Historia, Homens, Amor, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Gustavinho, Fonte: CasadosContos

    Cap.5 Não acreditei quando vi. Sim, era ele, Nicolas, na frente da minha porta. -Sim, eu... Não sou bem vindo ? -Não... Quer dizer... É... Mas como descobriu onde eu moro ? -Um passarinho me contou... -Ah é ? -Esse passarinho tem nome ? -Tem... Mas eu não vou dizer... Posso entrar ? -Pode... - falei, abrindo a porta para ele. Estava bonito como sempre costumava estar, porém aquele dia parecia um pouco diferente. Parecia mais nervoso que o normal – tá tudo bem com você ? -Ã ? Porquê pergunta isso ? -Não... Só queria saber... -Ah. Está sim... - de repente então meu cachorro apareceu. Latiu ao ver a visita desconhecida. Ele se assustou – ai meu Deus ! - e me arrancou risadas. -Calma ! É só o meu cachorro... - falei, pegando ele no meu colo - você tá muito assustado... O que é que te assustou dessa forma ? -Eu não estou assustado... Acho que é impressão sua – falou, sorrindo. -Ok... TEMPO DEPOIS Ficamos os dois a conversar frente a TV da minha sala. -Sério mesmo ? - perguntava eu, a respeito de uma história que ele me contava. -Sério... Ela me traiu na maior cara dura kkk Mas não tem problema, eu devolvi o chifre no mesmo dia. -Que horror ! Não sei se eu seria tão vingativo assim... -Pois é... - de repente então ele focou o olhar na montanha de presentes que eu tinha na minha casa – mas que tanta coisa é essa ? -São presentes que eu ganho... -Tudo isso ? -Desculpe... É que eu sou muito lindo, tenho muitos fãs – falei, fazendo graça. -Desculpa aí – ele sorriu – mas é sério ... mesmo que isso é tudo presente ? -É... Sério... -Eu não acredito... -É verdade... Se quiser pode até levar algo, tem tanta coisa que eu já estou dando. TEMPO DEPOIS Nós passamos toda aquela tarde juntos. Foi muito bacana, ele me fazia muito bem, eu adorava estar perto dele. -Bem... Acho que já é hora de eu ir embora... - falou, se levantando. -Ok... Obrigado pela visita... - falei, sorrindo. Caminhamos até a porta. Eu a abri, ele saiu. -Amanhã nos vemos ? -Sim... Até amanhã... -Até... - eu já ia fechar a porta, mas ele impediu. -Espera... -Ok... -Fecha os olhos... -Mas, porquê ? -Só... Fecha... - eu não entendi o porquê, mas acabei obedecendo. Fechei os olhos, durante alguns segundos nada de diferente. Até que, ele me beijou. Não foi um beijo lento. Foi só um selinho mais demorado. E quando eu abri os olhos ele já estava lá dentro do elevador com um sorriso no rosto. -Nicolas ?! - logo o elevador fechou e ele se foi. E lá eu fiquei. De olhos arregalados, com o coração na boca, ultra nervoso com o que havia acabado de acontecer. Levei a minha mão aos meus lábios, ainda sem acreditar. Com uma cara de pastel incrível – seu louco... - e então entrei dentro de casa, feliz como uma criança. NO DIA SEGUINTE Fui para a faculdade como sempre fazia todos os dias. Porém incrivelmente mais abobalhado. -Qual é o osso que fica na parte de trás do Crânio, Lorenzo ? - o professor falava comigo, mas eu nem dei atenção – Lorenzo ? Tá me ouvindo ? -Ã.. Ah, é o Osso Occipital. -Correto... - mas de ...
«12»