1. … e a vida segue


    Encontro: 05/10/2017, Categorias: Grupal, Autor: dianagray444, Fonte: ContoEroticoComBr

    Esta é a continuação do conto “Férias inesquecíveis… e dolorosas” enviado anteriormente. O resumo Eu e minha filha tivemos nossa casa invadida por três homens às vésperas de nossas férias e passamos um mês sendo sexualmente abusadas. Quando nos deixaram, prometendo retornar, avisaram para não contarmos a ninguém nossa provação. Monica e eu conversamos e concluímos que não poderíamos ficar sem sua posse o que lhes dissemos 15 dias depois quando retornaram. A continuação Recebemos nossos algozes dispostas a satisfazer seus desejos quaisquer que fossem. A ansiedade tomava conta de nossos corpos e queríamos reviver as experiências anteriores. Deixamos os três na sala e nos despimos em nossos quartos, retornando. Nossos homens haviam aberto o armário em que guardava as bebidas e prepararam drinques para nós 5. Eu e minha filha não queríamos beber e, ao recusarmos, fomos castigadas com tapas e bofetões. Obedecemos bebendo as fortes bebidas que nos ofereceram. Ajoelhei em frente a meu homem, abri seu zíper liberando o pênis e comecei a mamar. Minha filha deitou-se ao chão tendo seus seios chupados e mordidos enquanto o outro sugava sua vagina. Atingiu seu orgasmo gritando o prazer e pedindo que não interrompessem. Eu assistia a tudo sem nada dizer pois a boca estava cheia com o falo. Meus mamilos eram apertados e girados pelos dedos do meu e a vagina pingava meus sucos no chão. Quando gozou, engoli todo o seu leite saboreando-o. Conduziu-me para minha cama e, de bruços, fui ... sodomizada mais uma vez. Já estava habituada ao seu calibre e recebi-o sem reclamar. Voltamos à sala e Monica estava sendo comida e fotografada. Fazia poses chupando, recebendo os falos na vagina e ânus e demonstrava sua satisfação. Vendo aquelas cenas, excitei-me mais uma vez e concordei em posar. Fui imobilizada numa poltrona, as pernas escancaradas e fizeram fotos em close de minha vagina e clitóris. Virada de bruços, fotografaram meu ânus arrombado e sem pregas. Ordenaram que Monica fosse buscar algo para o jantar, acompanhada pelos que a haviam violentado. Naquela noite, contamos a eles nosso acordo em serví-los enquanto nos desejassem. Decidiram fazer uma orgia conosco e trepamos com parceiros trocados até a manhã seguinte. Após um banho, saímos usando roupas ousadas sem soutien e calcinha. Levaram-nos a um cinema onde, sentadas entre eles na última fileira, fomos agarradas, apertadas, bolinadas e possuídas. Em seguida, levaram-nos a uma lanchonete onde paguei o lanche. Na volta para casa, percorremos a zona do meretrício e nos fizeram sair do carro e desfilar frente às prostitutas que nos apalpavam e xingavam. Em casa, levamos “ferro” a noite inteira. Aquilo durou todo o fim de semana para nossa satisfação. No meio da semana seguinte, recebi a notícia do falecimento de uma tia distante. Era nossa única parente e me tornei sua herdeira. Deixou vários imóveis e uma fortuna em dinheiro o que proporcionaria uma vida mais que confortável enquanto vivêssemos. Fomos comemorar fazendo ...
«123»