1. DE CASTIGO, TRANSEI MAIS QUE O NORMAL.


    Encontro: 05/10/2017, Categorias: Grupal, Autor: dosex, Fonte: ContoEroticoComBr

    Naquela noite de quinta, estava eu puto da vida.. Afinal, tinha faculdade e depois ia pra casa, já que minha namorada Marcia iria sair com as amigas dela. Marcia havia se separado do marido para ficar comigo, que tbm havia deixado a esposa. Vivíamos em casas separadas, porém perto, e quase toda as noites, ficamos juntos para beijos, abraços, jantas, conversas e muita transa. Seu jeitinho magrinho com bundinha dura, cabelos lisos fazia qualquer homem se perder em pensamentos. Mas, na cama, fui o primeiro homem a fazer ela gozar freneticamente, pois o corno do ex, transava com ela no intervalo de novelas.. dois minutos e estava pronto.. e ela sedenta.. Mas naquela noite, eu estava puto.. queria a MA ( vou chama-la assim) e ela por castigo, disse não .. Acabou a aula e eu fui pro meu apto que dividia com colega de empresa e me afundei nos travesseiros.. e nada de sono vir.. Ouvi a porta do apto se abrir e pensei ser ela, já que Ari ( meu colega) não tinha por habito chegar antes das 04.h. Porém, me enganei.. Ari chegou e trouxe consigo duas meninas que ele pegou no baile perto dali.. A suruba deles começou na sala mesmo.. e o barulho foi se tornando alto. Liguei de meu celular e falei para Ari se compor, pois não queria advertência do sindico no outro dia . Ele concordou e ato continuo bateu a porta de meu quarto. Fingi estar sonambulo e abri a porta.. Ele falou em voz baixa. – As meninas querem rola.. vai colaborar ou vou ter que fazer tudo sozinho?? .. Sua namorada não virá ... posar aqui.. passei na casa dela e vi o carro na garagem. Já deve estar dormindo .. Era o que eu queria ouvir.. entrei no banho pra uma ducha rápida e sai sem roupa. Claudia, uma morena fogosa e peituda, talvez minha idade , propôs fazermos a orgia do silencio.. Só deveríamos falar baixinho e o mínimo possivel, gemer mais baixo ainda, e demonstrar nossos sentimentos com gestos e olhares. Parti pra cima daquele vulcão negro e encontrei um buceta cheirosa e lisinha. Enfiei a língua e com o dedo já fui cutucando o rabo da moça.. ela segurou meus cabelos na ânsia de me perpetuar ali ..e com uns tapas em mim, percebi que ela estava gozando, escorrendo pelas coxas seu liquido quente da buceta.. Falou no meu ouvido, – Me coma.. me foda com a força que você foderia sua namorada.. Coloquei ela de 4 no sofá e encapei meu cacete.. Mas pensei.. um rabo desse tem que ser bem comido … Coloquei um gel hot em todo meu pau e de uma só vez, soquei na buceta dela que recebeu rebolando cada pedaço do caralho… Claudia balançava a cabeça para todos os lados, segurava o grito na boca e gozou instantaneamente… nunca vi gozar tão rápido assim.. travei as pernas dela e fiquei com meu cacete dentro, olhando o ambiente.. Percebi num canto da sala, Ari sendo cavalgado por Aninha, uma ruiva mignon, sorridente e bem deliciosa.. ela cavalgava devagar e a visão dos dois me deixava ainda mais de pau duro . Claudia batia em minhas pernas pedindo para eu sair de dentro dela.. Atendi para que ela não gritasse e ...
«123»