1. Apenas Um Ano - X


    Encontro: 04/10/2017, Categorias: Fazenda, perdão, felipe, Amor, Orgulho, Hospital, cidade, fim do castigo, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Omar Junqueira, Fonte: CasadosContos

    Eu rapidamente me dirigi ao escritório e com rapidez peguei o telefone. - Pai? O que foi? – Falei impaciente. - Omar, eu estou te tirando do castigo – falou, eu fiquei sem entender nada. - Mas porque pai? Não faz nem um mês que estou aqui – perguntei confuso. - É o Felipe – meu pai falou e ficou em silencio. - Pai, o que aconteceu com o Felipe – perguntei preocupado. - Depois que eu te mandei para fazenda, o Felipe começou a ter crises de ansiedade, ele entrou em depressão e ontem ele tentou contra a própria vida, os pais dele vieram aqui em casa e imploraram para que você fosse ver ele, eu disse que isso não estaria em minhas mãos e que só caberia a você decidir se voltaria ou não – falou bem devagar para que eu entendesse. Não sei porque, mas eu me sentia culpado pelo que o Felipe fez, eu sei que errei em não perdoa-lo, todo mundo merece uma segunda chance, eu nem quis saber dos motivos dele e já mandei ele sumir da minha vida, na hora da raiva eu não pensei se aquilo que eu estava fazendo era o melhor pra ele ou para mim, eu não vi que por um amor verdadeiro a gente luta, eu fui orgulhoso e deixei o meu orgulho ser maior que o meu amor. Eu amo o Felipe, mesmo depois de tudo eu o amo, não posso continuar negando isso para mim mesmo e nem para ninguém. Desde que eu cheguei na fazenda o Felipe tem me ajudado, tem me dado carinho e afeto, mas não passa disso, pelo menos pra mim, eu não posso continuar enganando ele, eu não posso continuar dando esperanças de que um dia ... iremos ficar juntos, eu realmente não sei, vejo o Felipe apenas como um ficante ou amigo, confesso que tentei esquecer o meu ex, mas eu fracassei completamente, minha cabeça está confusa, mas meu coração me diz o que eu tenho que fazer, que é voltar pra cidade e perdoar o Felipe e tentar recomeçar com ele. - Como ele está pai? – Perguntei aflito. - Ele está hospitalizado, mas não corre risco de vida – falou me deixando mais aliviado – Filho? Tem alguma chance de você perdoar ele? Eu gosto do Felipe, ele é um bom rapaz, eu sei que ele errou feio com você e que te magoou muito, mas um deslize não define o caráter de uma pessoa, todo mundo erra! – Murmurou, meu pai é um homem muito sábio e racional, não herdei isso dele. - Quando o motorista vem me buscar? Tem que ser o mais rápido possível – balbuciei, eu queria vê-lo. - Amanha bem cedo – falou tranquilo, acho que ele estava aliviado pela minha decisão. - Tudo bem pai, qualquer coisa liga – falei desligando o telefone. Voltei para onde estava mais cedo com Felipe, o procurei mais ele não estava mais lá, de longe o vi sentado na pequena ponte que fica na beira do lago, andei em passos lentos até chegar onde ele estava, sentei-me do lado dele. - Há é você, o que o seu pai queria? – Perguntou olhando para o lago. - Felipe, eu vou voltar para a cidade amanhã bem cedo – falei olhando para baixo. - Serio? Mas o seu castigo não era um ano? – Perguntou confuso. - Era, mas aconteceu uma coisa muito ruim e eu tenho que voltar – quis omitir a ...
«1234»