1. O Prisioneiro - Cap.11


    Encontro: 04/10/2017, Categorias: Sexo, descobertas, Amor, misterio, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Autor Araújo, Fonte: CasadosContos

    O Zero seguiu para a sala do diretor e eu fiquei na cela, pensando no que tinha acontecido de tão grave para o diretor chamar o Zero em sua sala. O tempo estava passando e nada do Zero retornar, já fazia uma hora que ele tinha saído. Fui ficando impaciente, deitei, levantei, andei pela cela, fiquei em pé próximo as grades, ate que finalmente o Zero chegou, estava com um semblante estranho, não me parecia triste, estava pensativo. Assim que entrou ele já foi logo falando comigo: Zero – o meu julgamento foi marcado para a próxima semana. Não consegui disfarçar a minha frustração, sei que deveria ficar feliz por ele esta tendo a oportunidade de sair da prisão, mais estávamos tão felizes juntos que não conseguia me ver longe do meu Zero. Pra ser sincero ele estava sendo a única coisa boa na minha vida desde que cheguei aqui na cidade, foi através dele que eu descobri o amor e o prazer, e agora a nossa historia estava preste a ter um ponto final. Leo – Zero, eu não vou mentir pra você, não estou feliz com o seu julgamento, não quero ser egoísta, mais na estou sofrendo só em pensar que vou te perder. Zero – quem disse que você vai me perder? Mesmo que eu saia daqui, não vouTe abandonar nunca, você me fez descobrir um sentimento que nunca tive por ninguém. Ao seu lado me sinto amado. Abracei o Zero e fiquei um bom tempo grudado nos seus braços, sentindo os batimentos do seu coração, a sua respiração e seu cheiro. Nesta noite dormimos juntos, mais não transamos, estava sentindo ... uma sensação de despedida, sei que o julgamento só seria na próxima semana, mais o tempo passa rápido e mesmo não tendo a certeza de que o Zero seria solto, sentia uma angustia no peito. Pela manhã após tomarmos café, o Zero recebeu a visita do seu advogado e ficaram conversando por um longo período. Como estava chovendo muito não teve futebol, optei em ficar na cela e quando estava passando pelo corredor ouvi uns gritos e fui ver o que era, dois animais tentando estuprar um novato, entrei E fui tentar interceder por ele, desde que rui treinado pelo meu amor, estava me sentindo mais seguro, não temia mais nada e nem ninguém. Leo – soltem ele! -hahahaha veio ajudar a amiguinha foi florzinha? Leo – me chama de florzinha mais uma vez e te mostro quem vai ficar sem as suas pétalas. - flo-zi ... Não o deixei terminar a palavra e o acertei com um soco, logo o sangue escorreu, o outro que estava segurando o novato veio tentar me atacar, porem consegui me esquivar e o acertei com um chute no saco, deixando o caído no chão, o que tinha levado o soco revidou e começarmos a brigar, o rapaz que estava sendo violentado veio tentar me ajudar e nesse momento fomos surpreendidos pelos carcereiros, que nos rendeu. Pela primeira vez fui levado para a solitária. - fiquem ai ate aprenderem a conviver como gente. Não contestei, afinal, se agi errado tinha que pagar por isso, mais não me arrependi do a que fiz. Os outros envolvidos na briga também foram castigados, sendo colocados na solitária. Só ...
«1234»