1. Escrito em Azul - capítulo 21


    Encontro: 02/10/2017, Categorias: Gays / Homossexual, Amor, paixão 💓, pedido, Lésbicas, Autor: Gatinha 007, Fonte: CasadosContos

    (Pedido de Namoro) Não aconteceu nada demais Carolina! Não tem porque você está com essa cara amarrada – dizia Anna-Lú sem tirar os olhos da estrada e deu de ombros ao ver que não lhe dera ouvidos continuando o percurso calada. Carol apenas mirava a janela sabia no fundo que, Anna-Lú realmente não havia feito nada, ao menos não de forma premeditada ou voluntária, mas o ciúme a consumia e não podia evitar. E apesar de Anna-Lú não mais ter-se relacionado com nenhuma outra mulher, aquela noite só fez Carol perceber o quanto as mulheres corriam atrás dela. Enquanto a ruiva se derretia e se insinuava, Anna-Lú esbanjava seu charme na forma como se movia, falava e gesticulava era natural exalar aquele ar sedutor e tão cafajeste de ser, estava impregnada a essência de Anna-Lú e era algo com o qual Carol não se acostumava. Foram diretamente para o apartamento de Carol, o prédio ficava ao norte do centro da cidade, de frente para uma praça bem arborizada, foi a primeira vez que Anna-Lú atentou-se àquele lugar. Estacionou na calçada e Carol achou que ela não fosse subir e surpreendeu-se quando Anna-Lú pediu para que a acompanhasse até a praça. Atravessaram as quatro pistas de avenida e subiram à calçada. A noite banhada pelo luar prateado e mesmo em plena metrópole algumas estrelas se estendiam pelo negro do céu, ao longo da praça pessoas iam e vinham de um lado para o outro, também se espalhavam alguns casais. Uns de mãos dadas caminhavam vagarosamente, outros comiam seus ... sanduiches sorridentes nos quiosques e outros assentados em um banco qualquer se acariciavam entre olhares confidentes, como se mais nada no mundo existisse. Vem comigo! – disse Anna-Lú puxando-a e seguindo o caminho que levava em direção ao centro da praça. Só então, Carol percebeu que ali se erguia um caramanchão recoberto de uma bela vegetação, e as pequenas luzes espalhadas por ela davam um toque quase mágico àquele lugar. Esse lugar é lindo! – falou Carol admirada. Verdade, não tão lindo quanto você é claro – respondeu Anna-Lú fazendo Carol enrubescer. Boba! – retrucou carinhosamente. Com você? Completamente! – falou Anna-Lú abrindo os braços e continuou – Mas... Mas??? – quis saber Carol. ...É incrível pensar nas mudanças repentinas que acontecem na vida – falou Anna-Lú recostando-se em uma das colunas – depois que deixei a fazenda, lá atrás, à última coisa que eu me imaginaria era estar amarrada a alguém e antes que diga algo, saiba que falo amarrada no bom sentido da palavra. Quero dizer que jamais imaginaria estar apaixonada outra vez, pra falar a verdade eu não admitia em hipótese alguma, e pra ser bem mais sincera até alguns meses atrás meu único plano fora da área profissional era curtir a vida do jeito que eu bem entendesse. Mas... – suspirou e chegou mais perto de Carol e gentilmente acariciou seu rosto – você apareceu e de repente tudo mudou pra mim, simplesmente porque você se apoderou do meu pensamento – disse sorrindo e ainda acariciando o rosto de Carol – me vi ...
«123»