1. Negão casado faz sucesso com viados da sauna gay XVIII - Final


    Encontro: 02/10/2017, Categorias: Heterossexual, Oral, Anal, Bissexual, Interracial, Sauna, Fetiches, cadeirante, Travestis, Orgia, chefe, Autor: jornalista77, Fonte: CasadosContos

    Gilberto e César pegaram a estrada por volta das nove da manhã. Pretendiam ir mais cedo, porém um tesão repentino os obrigou a foder na hora de sair e os atrasou. Viajavam no carro adaptado de César, com ele dirigindo. Gilberto, para atiçá-lo, tirou a camisa, alegando muito calor apesar do ar-condicionado ligado. Somente de bermuda e sem cueca, esticou-se no banco do passageiro, abrindo bem as pernas. Seu cacete endureceu e se formou a barraca. – Porra, Gil, isso é sacanagem – reclamou César. – Isso o quê? – Gilberto se fez de desentendido. – Você sabe do que eu estou falando. Você ficar aí sem camisa e com essa delícia dura e grossa, me chamando. Se vai me provocar, ao menos faz o serviço completo e tira a bermuda – sugeriu. Gilberto riu e concordou. Tirou a bermuda e a jogou no banco traseiro. Sua pica surgiu imponente e o aroma delicioso de tesão tomou conta do carro. César soltou uma das mãos do volante e agarrou o pau do amante. – Era isso que você queria, segurar meu cacete? Pois segura bem gostoso que ele adora. Ele tá duro assim porque se lembrou do teu cuzinho quente e apertado, piscando com ele todinho dentro – sussurrou Gil no ouvido de César, passando a língua em seu pescoço. O motorista suspirava e gemia de tesão. Alguns quilômetros à frente, ele não resistiu e parou o carro no acostamento. Gilberto já estava totalmente derreado pra cima dele, abraçando-o e beijando sua orelha e seu pescoço. Sua mão passeava pelo peito e descia pelas coxas e virilha. Tão logo ... parou o carro, os dois se pegaram em um beijo ardoroso. Gilberto atacava a boca de César, enfiando a língua dentro dela e não dando chance ao rapaz de respirar. César não queria respirar, queria beijá-lo, saboreá-lo, se entregar a ele. Correspondeu ao beijo com igual ímpeto. Mesmo paralisado em sua cadeira, procurava mexer do tórax pra cima, em busca de uma posição que melhor o favorecesse. Buscava o corpo negro e forte de Gilberto, sua pele, sua boca e sua língua. Gil deitou o banco do motorista e se colocou por cima de César. Continuaram com o beijo erótico e intenso. As mãos apertavam e acariciavam o corpo do outro. A posição não era das mais confortáveis devido ao aperto, porém conseguiram tirar suas roupas e Gil penetrou César no papai e mamãe. Seu pau deslizava fácil dentro do cuzinho experiente e sedento pela pica preta. Foderam no meio da estrada, despreocupados se alguém veria seu ato libidinoso e indecente e só pararam quando chegaram ao orgasmo. Retomaram a viagem depois de se recuperarem, com o cu de César lotado de porra. Se Gil e César estavam atrasados, Orlando, Cristiane e Paloma não estavam. Orlando passou na casa de Gil logo cedo para pegar Cris e, no caminho, apanharam Paloma. Foram na frente sem esperar por Gilberto e César que ainda dormiam após uma noite intensa de sexo. A dupla, finalmente, chegou ao sítio. Suados, cansados, mas com um sorriso de orelha a orelha. Desceram do carro sem ver ninguém. Orlando havia dito que o estacionamento era um pouco ...
«1234...7»