1. A Obsessão S02C04 – O amor fere, mas na maioria das vezes cura as feridas já abertas.


    Encontro: 27/09/2017, Categorias: Teens, Sexo, Romance, Amor, Tristeza, Morte, psicopata, assassino, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Daniel, Fonte: CasadosContos

    Capitulo 04 (2ª Temp) “Olha que lindo o nosso bebê, se parece com o pai” De: Sua mama. Para: Meu Lipe. Data: 22 de abril de Dois Mil. (a data ta assim porque a CDC de algum jeito faz sumir quando correto) - Agora fodeu tudo, eu tenho um irmão? – Falei pasmo. Ainda sem acreditar em tal coisa, tirei fotos de todos aqueles documentos e guardei tudo com estava, fui para casa com meus pensamentos a mil, não sabia o que fazer, confrontar meu pai seria uma boa ideia? Será que a minha mãe sabia de tudo? O que será que aconteceu com aquela mulher? Meu meio irmão era o assassino e estava de volta por causa da minha família? Eu estava simplesmente atordoado com tudo aquilo, não dava para acreditar, será que a minha vida é um filme e ninguém me avisou? Cheguei em casa e subi para o meu quarto, meus pais haviam chegado em casa e eu não teria coragem de olhar para cara deles, não por enquanto, não depois de tudo que descobri. Aquilo era tudo tão surreal que a ficha ainda não havia caído. Pluguei meu celular no notebook e transferia todas as imagens, depois imprimi todas, seria mais fácil para examinar. Depois que imprime tudo, ocultei a pasta no notebook e deletei tudo do meu celular. Certifiquei-me que a porta estava trancada, então sentei-me na cama e espalhei todas as folhas em minha frente depois comecei a examina-las, primeiro os comprovantes de depósitos bancários: Eles começaram em outubro de 1999 e terminaram três anos depois em novembro de 2002. Se meu pai mantinha uma pensão a ... essa mulher e ao seu filho, porque cessaram quando a criança tinha dois anos? Era tudo muito estranho, a foto da Maria Viana com a dedicatória era de dois meses depois que eu nasci, então, meu pai traia a minha mãe enquanto ela estava gravida de mim, eu estava com muita raiva de meu pai, o pior é se minha mãe não souber, vai ser um choque para ela, preciso conversar com ele primeiro antes de tomar qualquer atitude. Mas outra pergunta em questão era: o que aconteceu com aquele garoto e porque ele está me perseguindo agora? Guardei tudo debaixo do meu colchão e fui dormir, aquilo tudo era demais para a minha cabeça. ... Depois de tudo que havia ocorrido eu e Leo não tivemos tempo para namorar, eu já estava ficando louco, estava subindo pelas paredes, a falta que meu homem me fazia era surreal. Eu e Léo marcamos um sábado só para nós dois, onde tudo de ruim seria esquecido, pelo menos por um dia, decidimos que nesse sábado só com o que importaria era nós dois. Cheguei na casa do Léo por volta das 11h30, aproveitei para almoçar com ele, sua mãe e seu pai, eles ainda estavam um pouco pra baixo com a morte de Marta, o velório dela foi tão triste, Leo chorava como uma criança, e eu chorava junto dele. Eu estava adiando a temida conversa com meu pai, sentia que ainda não era o momento certo para o aborda-lo com um assunto tão sério, deixei Malia por dentro de toda a história, ela ficou chocada com tudo aquilo, no dia anterior passamos o dia todo especulando quem seria a pessoa por traz ...
«1234...»