1. Acabei tendo que fazer todo serviço...


    Encontro: 24/09/2017, Categorias: Lésbicas, Gays / Homossexual, Autor: Raphaela, Fonte: CasadosContos

    Olá, muito prazer, me chamo Raphaela, 26 anos, 1,62, pele clarinha, cabelos longos preto, bumbum grande e empinado, barriga chapada, perna grossa, seios médios, cintura fina... sou professora de educação física, então me sinto na obrigação de estar com o corpo sempre em ordem, sou muito feminina o que faz muita gente duvidar que sou lésbica, quando estou com outra garota na cama o que eu gosto mesmo é de enlouquecer ela, sou safada e topo praticamente de tudo, comigo não tem aquilo de passiva ou ativa, o que rolar na hora rolou. A mais ou menos quatro anos atrás, estava tristinha porque havia largado da namorada pela milésima vez, obviamente iriamos voltar, mas enquanto nenhuma dava o braço a torcer, eu ficaria literalmente na mão, fui convidada para um aniversario de um amigo, na hora já lembrei da Renata, uma moça que sempre estava com ele. A Renata é meio máscula, mas não se veste de homem, tipo de mulher que você olha e percebe que ela é do babado, prefiro moças femininas iguais a mim, mas tinha alguma coisa nela que me chamava atenção, aparentava ter uns trinta anos,olhos azuis, loira, um pouco cheinha, e uma cara de safada, tipo ''se eu te pegar eu te estrago'' rs Perguntei para meu amigo se ela iria ''Hum tá interessada, quer que eu falo de você pra ela?'' ''De forma alguma, deixa que eu mesma chego nela'' A festa era bem família, ficamos conversando na sala em cinco eu acho, deixei claro que estava interessada nela, puxava assunto, sempre que dava colocava mão nela ... enquanto conversávamos, buscava bebida pra ela... e nada dela mostrar interesse ''mulher é um bicho complicado de mais, quando estava com a minha namorada ela até tentou me roubar um beijo uma vez, agora disponível e investindo, ela fazia cara de paisagem''. Pessoal começou ir embora e eu não tinha conseguido nada, ofereci uma carona no meu carro, ela fez um charminho antes de aceitar, mas aceitou, no caminho a mesma coisa, ela na dela e eu já sem esperança, eu já tinha mostrado que estava interessada, se ela não fez nada provavelmente era porque ela não estava afim, chegamos na casa dela, ela pediu para eu descer e esperar ela abrir o portão porque estava escuro e ela tinha medo, realmente, ela mora em bairro bem pesado, tranquei o carro e desci, hora que me aproximei do portão, ela me puxou pela blusa, socou a língua na minha boca, largou minha blusa e pegou forte em meus cabelos, enquanto nos beijávamos ela pegou na minha bunda com força e deu um tapa ''que vontade que eu tinha de apertar esse bundão'' ''pensei que você não fosse me beijar nunca'' ''E por que você não me beijou?'' ''Porque você que é o menino'' brinquei Voltamos a nos beijar, ela puxava meu cabelo, jogava minha cabeça para trás lambia meu pescoço, até mesmo meu rosto, se esfregava em mim, ela pediu para eu entrar, disse que não podia porque tinha que acordar cedo (mentira, queria provocar mais ela, também sei bancar a difícil) ela voltou a me beijar e do nada me deu tapa forte no rosto e chamou de safada, ...
«123»