1. Os Patinadores


    Encontro: 20/09/2017, Categorias: Incesto, Amigos, Inversão, Gêmeos, dotado, dormindo, Mão Amiga, Punheta, descoberta, banheiro, Ônibus, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Contos Picantes, Fonte: CasadosContos

    Seriam 36 horas de viagem, mas o ônibus-leito parecia confortável, quando Leonardo chegou à plataforma de embarque, na Rodoviária de São Paulo, pouco antes das seis da noite. No dia que comprou a passagem, o escritor só conseguiu lugar, na penúltima poltrona na fileira dupla, mas felizmente na janela. Para o Nordeste, aquela empresa era a que tinha os melhores leitos: apenas 19 poltronas, uma pequena cozinha e um bom banheiro a bordo, com chuveiro e outras comodidades. Entrando no ônibus, à esquerda estavam apenas cinco poltronas únicas; à direita, as poltronas duplas, num total de 7 pares, 14 assentos. Dois motoristas dividiam a direção do ônibus em um dia e meio de viagem. O espaço entre as poltronas era suficiente para que o passageiro arriasse quase todo o encosto, que praticamente se transformava em cama. A empresa fornecia travesseiros e cobertores, embora naquela época do ano o calor fosse insuportável. Cada passageiro recebia um kit com salgadinhos e biscoitos, um energético e na cozinha existia um frigobar com refrigerantes, água gelada e cafezinho durante todo o percurso, além de várias paradas para café da manhã, almoço e jantar. Para quem, como Leonardo, tinha medo de avião, o ônibus leito até que era uma boa opção. Mal sabia ele que seria a melhor viagem da sua vida. Esperando a hora do embarque chegar, Leo ficou rezando para que seu companheiro ou companheira de viagem não fosse alguém desagradável, gordo ou esquisito. Ainda na plataforma, o escritor soube com ... um dos motoristas que praticamente todas as passagens do ônibus tinham sido compradas para um grupo de patinadores artísticos, que faria uma apresentação no Nordeste no próximo fim de semana. Ao todo eram 18 membros da delegação e apenas Leonardo de passageiro comum. Como se tivesse sido combinado, logo o grupo se aproximou. Eram 7 moças e 7 rapazes, todos muitos jovens, vestindo uniformes iguais. Shorts para elas, bermudas para eles, além de camisetas e casaco de moletom, nos braços ou nos ombros. Acompanhavam o grupo quatro dirigentes da delegação, três homens e uma mulher. Todas as bagagens foram colocadas na parte inferior do veículo e o grupo embarcou. Leo ficou observando os atletas, animado pela companhia. Eram todos muitos jovens, bonitos e alegres, atletas de uma modalidade que molda corpos ligeiramente musculosos, mas longilíneos, quase perfeitos, tanto para as moças quanto para os rapazes. Os responsáveis pelo grupo também estava uniformizados e suas idades regulavam com a de Leonardo. Quando finalmente entrou no coletivo, os adultos da delegação já estavam sentados nas primeiras poltronas e as moças foram ocupando os lugares seguintes. Caminhando pelo corredor, Leo foi pedindo licença, desviando o corpo de moças e rapazes que acomodavam suas bagagens de mão no compartimento superior. Ao alcançar a dupla de poltronas onde se sentaria, a penúltima do ônibus, exatamente em frente à pequena cozinha, Leo se desviou de dois dos atletas, que o cumprimentaram com sorriso ...
«1234...13»