1. Um Mário em minha vida - Capítulo 01


    Encontro: 13/09/2017, Categorias: Romance, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Lord D., Fonte: CasadosContos

    Quando a minha mãe morreu eu não chorei. Talvez fique uma impressão equivocada dos meus sentimentos para com ela, de que a nossa relação era péssima, mas é apenas erro de um julgamento apressado. A verdade é que chorei em parcelas, divididas pelos longos três anos que cuidei dela, lutando ao seu lado contra um companheiro de viagem inflexível: câncer. Mas não é sobre estes anos tão cinzentos da minha vida, que quero contar, e sim, como eles foram recompensados mais tarde. Meu nome é Márcio Jardim. Tenho vinte e sete anos, sou escritor e ilustrador de livros infantis, muito embora tenha deixado pausada minha vida profissional, em decorrência da saúde da minha mãe. *** Era meados de julho. A intensidade dos ventos já havia levado aquele período a seu ponto máximo de frio. Acordei em uma manhã cinzenta, não muito diferente dos últimos dias, resoluto a traçar um novo começo para a minha vida. Já fazia muito tempo que eu não publicava um livro, e precisava urgentemente mergulhar em um projeto. Algo que marcasse um novo traço, um novo jeito de enxergar o mundo. Naquela mesma manhã liguei para o meu editor, que há bastante tempo insistia para que eu voltasse para o mercado literário. - Augusto, resolvi ceder a sua proposta – disse animado pelo telefone. - Não me diga que você vai voltar a publicar, Márcio? – meu editor perguntou, já com ares de comemoração. - É exatamente isso – confirmei, enquanto ouvia seus berros do outro lado da linha. Modéstia à parte, havia sim motivos para o ... alarde de Augusto, eu era um autor best-seller que competia de igual para igual com os campeões de vendas internacionais. - Do que precisa? – Augusto perguntou com apreensão, como se temesse que eu mudasse de ideia. - Bom, além da confirmação de que a editora está interessada, o que parece já estar conquistado, preciso de um bom prazo, e principalmente, não ser incomodado até o final do projeto. - Que seja feita vossa vontade – Augusto assentiu com uma voz teatral. - Ótimo! Vou deixar a cidade e suas agitações. Para o livro que quero escrever, necessito de matéria-prima diferente. Estou voltando para a minha cidade natal, Praia Branca. - Buscando inspirações nas raízes? – perguntou Augusto. - Possivelmente – fui enigmático – Nós temos uma casa lá. - Bom, se precisar de mais alguma coisa não hesite em exigir de seus humildes vassalos – exagerou Augusto. Gargalhei antes de dizer: - Creio que isso seja o suficiente. Por hora, apenas me despeço de você. - Boa sorte, meu amigo – Augusto desejou. – Espero que você encontre o que procura. - Eu também – respondi por fim. Os dois dias que seguiram, foram suficientes para eu providenciar o necessário para a longa viagem que eu empreenderia. Fechar a casa foi mais do que simplesmente dar uma volta na chave, representou encerrar aquele ciclo de luto, não com o propósito de engavetar a minha mãe como arquivo morto, mas pelo menos as lembranças ruins sim, e não falo só de seu período de câncer. Meus pais moraram grande parte de suas vidas ...
«1234...9»