1. Em nome do amor! (14)


    Encontro: 13/09/2017, Categorias: Família, Confiança, primos, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: L.Augusto, Fonte: CasadosContos

    contigo quando seu pai morreu? Quem não te deixou em paz até você sair de casa? Tínhamos uma amizade muito forte, considerei você como um irmão, diferente de você – Pensei que choraria, mas decidi que não daria o braço a torcer, permaneceria firme em sua presença. Caio: Eu sei que você sempre esteve do meu lado, mas você poderia ter evitado tudo isto se tivesse me falado a verdade. Eu: E eu fiz o que? – Falei gritando – Tudo que fiz foi falar a verdade, por acaso eu falei que agarrei ela? Pq não lembro disso, pelo contrário, sempre falei a verdade. – Como ele ousava a dizer que eu deveria ter falado a verdade. Caio: Poderia ter dito que gostava de mim – Ao ouvir aquilo, dei um soco em seu rosto. Como ele teve a coragem de dizer aquilo. Eu: Você com certeza não sabe o que está falando, quer dizer que se eu tivesse falado que gostava de você, que estava confuso sobre meus sentimentos, isso faria você acreditar? – O seu nariz estava sangrando, ele me encarou assustado. Eu: Sai da minha casa. – Aquilo havia estourado minha paciência. Caio: Como? Eu: Está surdo? Quero que saia da minha casa agora, não acredito que depois de tudo você teve a coragem de vir aqui e dizer que a culpa é minha Peguei pelo seu braço e o puxava em direção porta. Ele resistiu e me empurrou. Caio: Espera, nossa conversa ainda não acabou. Eu: Acabou sim, e antes que eu faça tudo o que tenho vontade, é melhor você ir embora. Vanessa, Rafael e os demais vieram até nós, provavelmente após os meus gritos. ...
    Vanessa: O que ouve? Eu: Nada demais, só estou mandando o Caio sair da minha casa, que ele não se atreva a se enfiar na minha frente novamente. Vanessa: Caio, vá embora, você não deveria estar aqui. Caio: Eu vou sim, Luiz, só espero que saiba o quanto eu sinto por ter agido como um idiota. Caio foi embora, depois daquilo, retornamos até a área. Expliquei o que aconteceu durante nossa conversa. Disse para todos que meu animo para beber havia passado. Vanessa me pediu desculpas e foi para casa, meus amigos também foram embora, ficando apenas eu e Rafael. Eu: Novamente o Caio conseguiu estragar minha diversão. Rafael: Esquece isso, guarde na memória apenas o que houve aqui durante a tarde. Toda a diversão que passamos. Eu: Sobrou muita bebida? Rafael: Desta vez não – Falou aquilo rindo. Eu: Vou guardar apenas o som e o notebook, o restante vou deixar para amanhã. Rafael: Beleza. Vou te ajudar, depois podemos assistir algum filme. Eu: Não estou com muita paciência, mas não custa a tentar. Após guardar as coisas, fomos para a sala, colocamos um filme, abrimos o sofá e deitamos coladinhos. Rafael: Se quiser conversar, estou aqui. Não te julgo pelo que houve, sei que estava com raiva. Como ele podia ser tão atencioso daquele jeito? Ele estava lindo naquela tarde, com uma bermuda preta e uma camisa cinza, aqueles olhos castanhos olhando diretamente para mim, não resisti e lhe dei um beijo, que foi correspondido logo em seguida com ele me abraçando, fazendo com que nossos corpos ficassem ...