1. Em nome do amor! (14)


    Encontro: 13/09/2017, Categorias: Família, Confiança, primos, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: L.Augusto, Fonte: CasadosContos

    O que ele estava fazendo ali? Ao vê-lo, uma raiva tomou conta de mim. Eu: O que você está fazendo aqui? Caio: Preciso conversar com você, posso? Eu: Não tenho nada para falar com você, acho melhor você voltar para sua casa e sumir da minha frente. Caio: Espera – Disse aquilo segurando em meu braço. Eu: Tire suas mãos de mim, estou te avisando. Caio: Eu sei que pisei na bola, mas por favor, me escuta, eu preciso conversar contigo – Ele falou aquilo com os olhos marejando, eu estava preste a fechar a porta quando escutei Rafael. Rafael: Luiz, acho que você poderia ao menos o escutar – Olhei para ele surpreso com sua atitude, ele me puxou para perto dele. Rafael: Olha, sei que o que ele fez não tem concerto, mas acredito que você poderia pelo menos escutar. Acredito que isso ajudará a colocar um ponto final na história de vocês. Você já conversou com seus amigos, familiares, já se resolveu com o Pedro, conversei com meus pais, agora, acredito que esteja na hora de conversar com ele. Sei que está com raiva, afinal, foi no final de semana passado que sua vida tomou outro rumo graças a ele. Estarei com seus amigos, vou deixar vocês conversando. Só espero que você mantenha a paciência e não faça nada de cabeça quente. Eu ainda estava surpreso com a atitude dele, em parte ele estava com razão, eu deveria colocar um ponto final naquela história para poder seguir em frente. Caminhamos até a sala, enquanto Rafael foi para a área. Eu: Fala logo o que quer – Não estava com muita ... paciência. Caio: Primeiro, quero pedir desculpas, por tudo, por não ter acreditado em você, por ter feito o que fiz no sítio na semana passada – Falou aquilo retraído, olhando para o chão. Eu: Simplesmente chegar aqui e pedir desculpas, não será fácil. Minha raiva não vem do fato de você não ter acreditado em mim, ou pelo fato de ter feito com que todos na família ou amigos se virassem contra mim, acreditando que eu era o culpado por algo que não fiz. Esta raiva que sinto é devido a sua atitude infantil, minha vida tornou a mudar por sua culpa. A minha sorte foi que meus pais e amigos aceitaram tranquilamente, não gosto de pensar como seria se eles tivessem agido de outra forma – Já que estávamos a sós, para evitar uma agressão eu preferi desabafar. Caio: Eu sei que fiz errado, por isso estou aqui, está semana não foi uma das melhores, em minha casa, minha irmã e minha mãe quase não conversam comigo, fiquei com muita vergonha de encarar seu pai que não retornei no estágio. Imagino, como deve estar sendo difícil para você. Confesso que agi de forma insensata na semana passada, não deveria ter feito nada daquilo, levar Pamela apenas para criar confusão, ou até mesmo fazer toda aquela cena na frente de seus amigos. Só peço que me desculpe. Eu: E acha que se eu desculpar as coisas irão mudar? Acha mesmo que a amizade que tínhamos voltaria? Isso não tem retorno, você não acreditou em mim quando falei que nunca havia ficado com aquela garota, devido aquilo, tudo isto aconteceu. Quem ficou ...
«1234»