1. SUBMISSÃO – PARTE XIII


    Encontro: 12/08/2017, Categorias: Com Fotos, Gays / Homossexual, Autor: Augusto Treppi, Fonte: ContoEroticoComBr

    A promoção do DOMINAÇÃO acabou. Devo conseguir alguma outra, mas não tem nada garantido. É, ainda assim, tem dó gente, o ebook custa 12,90 preço normal. Quem é que não pode pagar isso pra um livro que vai ter pro resto da vida? Preço de um sanduba que vc compra e em meia hora não tem mais… 🙂 Então, acessa lá www.comprelivrosgls.com.br. Aproveita pra comprar mais uns livros meus. Pra ler SUBMISSÃO é preciso ter lido DOMINAÇÃO, meu primeiro livro, pois este é uma sequência. SUBMISSÃO é a continuação do DOMINAÇÃO, o meu primeiro livro, e o mais vendido. Apontado também como um dos livros mais vendidos da Internet, e pioneiro nos temas sexuais explícitos, que depois viraram modinha. Mas, nenhum com tanta força quanto ele, nos quesitos de sexo explícito e realização de fetiches. CAPÍTULO XI BEIJO Marcos era agora um cara renovado. Sentia-se novamente cheio de energia, e ansioso para gastá-la onde considerava ter mais competência, no seu trabalho. Infelizmente, o mundo à sua volta não havia mudado tanto assim. Igor mantinha-se alheio a qualquer transformação e ignorava todos os seus esforços em lembrá-lo da proposta inicial daquele “casamento”. Preferia mantê-lo ali, como um inútil circulando pela casa. Felizmente parte de tanta energia acumulada encontrava vazão nas atividades físicas, cada vez mais puxadas, sob a orientação do professor improvisado, misto de segurança e amigo. Claro, havia também as sessões de sexo selvagem. Nesse ponto o loirão não podia se queixar muito do ... parceiro. Embora o romantismo ilusório do início tivesse desaparecido, era evidente que o interesse do amante por ele permanecia quase intacto, mesmo com tantas viagens e puladas de cerca. No processo de tomada de consciência acerca de sua sexualidade, Marcos vinha, de certa forma, se divertindo mais nas mãos do seu homem. Se ele antes sentia tesão, agora podia dizer que sentia prazer. A pegada poderosa do outro não mais o “obrigava” a nada. Sua entrega se tornara mais sincera e ele conseguia se perceber bem mais participativo. Ainda era o passivo, ainda era totalmente submisso ao macho, mas a diferença é que agora sabia que fazia tudo isso por realização pessoal, e não somente por medo ou obrigação. Nesse aspecto, pelo menos aparentemente, Igor percebia as mudanças, pois a sua performance, bem como a frequência, tinham também melhorado sensivelmente. Como um bônus, o grandão se divertia ao perceber César meio amuado pela casa. Pelo jeito as suas horas extras com o patrão já não eram mais tantas assim. Difícil mesmo era suportar tantos períodos de tédio. Sem praticamente nada pra fazer, a não ser transar, Marcos sucumbia a cada nova viagem do companheiro. Extenuava-se nos exercícios e corridas, lia e relia seu material acerca de sexualidade, o assunto mais palpitante do momento, traçava planos estratégicos para as empresas de Igor, mesmo sabendo da quase impossibilidade de executá-los, mas nada conseguia tirá-lo daquela sensação de torpor. A presença constante de Sidney, sempre ...
«123»