1. O "paizão" bem dotado e o novinho safado


    Encontro: 12/08/2017, Categorias: Coroa, Pai, Virgem, Iniciação, Família, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Garoto Sapeka, Fonte: CasadosContos

    Depois das experiências que narrei nos meus primeiros contos eu já não tinha dúvidas: Eu gostava mesmo era de dar meu cuzinho juvenil. Preciso de pinto pra ser feliz. Mas continuava levando minha vida normal, estudando, jogando videogame, sem dar pinta. Meus pais não podiam nem sonhar o que eu andava aprontando com meu cunhado. Até então, só dois homens tinham me comido: meu cunhado, Felipe, e o Lucas, o garoto crente que perdeu a virgindade me comendo. Dos dois, é claro que era muito melhor trepar com o Felipe. Macho mais velho, que sabia como enlouquecer meu rabinho. Foi então que eu comecei a entrar em chats gays, mais por curiosidade e pra "aprender" como eram as coisas. E foi num desses chats que eu conheci um novo macho. Seu nick era "CasadoCurioso", mas quem ficou curioso fui eu. Acho que é mais gostoso dar pra caras casados, como meu cunhado. Apesar do meu jeito de garoto inocente, eu sinto prazer ao saber que o macho está enganando a esposa comigo. Me sinto mais puta. Meu nick era "GarotoSapeca", e ele veio puxar conversa. Teclamos um bom tempo. Disse que seu nome era Sérgio, tinha 42 anos. A idade do meu pai! Isso me excitou muito. Também disse que era casado e tinha um filho da minha idade. Nunca tinha tido relações homossexuais, mas tinha curiosidade de comer um cu. Pediu para eu ligar minha câmera, e quando apareceu a imagem, eu quase desmaiei de tesão. Sérgio estava nu! Macho barbudo, cara másculo, peitoral forte e peludo, uma barba espessa e uma barriguinha ... de paizão. Mas o que mais me surpreendeu foi seu pau. Meu Deus, que pica! Um pau reto, comprido, e acima de tudo grosso, muito grosso. A primeira coisa que eu pensei foi: "Será que eu aguentaria essa tora no meu bumbum"? Ele pediu pra ver minha bunda, mas eu fiz charminho, disse que tinha vergonha. Isso o deixou ainda mais excitado. Ele disse que sua mulher estava viajando com o filho, e que ele tinha vontade de me comer, mas tinha medo. Eu, que já estava decidido a tentar, disse que toparia ir na sua casa. Acabamos marcando o encontro pro dia seguinte. Cabulei aula para encontrá-lo. Casa de gente rica, num bairro chique. Cheguei na porta com as pernas tremendo. Afinal, uma coisa era dar pra meu cunhado. Outra era dar pra um homem que eu nem conhecia. Mas o tesão falou mais alto. Ele veio abrir a porta. Que homem! Macho parrudo, voz grossa. Estava mais nervoso que eu. Me convidou pra entrar e me serviu um refrigerante. Começamos a conversar, nós dois travados, sem saber por onde conversar. Em matéria de sexo homossexual, por incrível que pareça, eu tinha mais experiência que ele. Eu percebi que se fosse rolar foda, eu teria que tomar a iniciativa. Ele disse: - Pô, que loucura nós dois aqui... Eu engoli o último gole de refrigerante e disse: - Pois é... mas eu gostei do que vi pela câmera. Ele deu um sorriso tímido. Então eu pedi: - Deixa eu ver o seu pinto? Fui até a poltrona onde ele estava sentado. Me ajoelhei e abri o zíper e sua calça. Enfiei a mão e tirei de dentro uma ...
«123»