1. O cara na parada de ônibus


    Encontro: 12/08/2017, Categorias: Gays / Homossexual, Autor: zehitter, Fonte: ContoErotico

    Oi, me chamo José e acompanho os contos do site há bastante tempo e resolvi compartilhar aqui as minhas histórias também. Isso aconteceu faz alguns anos e tinha publicado em outro lugar, mas como é uma de minhas aventuras favoritas eu decidi compartilhar aqui. Tinha 19 anos na época (hoje 23), branco, 1,77 de altura, 74 kg, corpo legal e em geral faço muito sucesso com a mulherada, ninguém desconfia de mim.Era final de semestre na faculdade, saia de uma pesquisa, pela noite. Sou estudante do curso de Educação Física e estava fazendo uma tarefa e não tive resultados positivos naquele dia, estava cansado de ter "trabalhado" atoa. Estava a caminho de casa, com os pensamentos fora de mim, em função dos acontecimentos do dia, estava sem carro, pois havia dado alguns problemas e estava na oficina, teria que pegar ônibus, que eram muito lotados naquele horário em função da faculdade. Fui andando até o ponto de ônibus de cabeça baixa e fiquei aguardando até que o ônibus chegasse, e estava demorando, já tinham passado vários outros mas nenhum servia para mim.Devo ter ficado esperando por uns 30 minutos ali de pé, o que estava me deixando com mais raiva ainda. A parada já estava quase vazia, havia apenas poucos universitários e ao meu lado tinha um cara conversando com o seu filho, e eu acabei ouvindo a conversa dos dois. O pai dizia para o seu filho que não pode comprar o presente de aniversário da criança, pois havia lhe faltado vinte reais, mas que no dia seguinte iria pedir ... emprestado para alguém. Eu fiquei com dó da situação e com um pouco de raiva de mim mesmo por estar reclamando do meu dia, mas que bem ali ao meu lado tinha uma situação bem pior. Prontamente me virei ao pai para lhe oferecer os 20 reais e disse "Ei!" e o pai e o filho olharam para mim. Neste exato momento eu não consegui dizer mais nem uma palavra, fiquei sem reação quando vi o quão lindo era aquele cara. Era um rapaz de uns 25 anos, barba ralinha, usava um boné largo, calça jeans e uma camisa gola polo, era mais alto que eu, e mais bronzeado, tinha um estilo meio "largado", do jeito que eu gosto. Fiquei ali abismado quando o homem pergunta "Ta tudo bem com você?" e eu não conseguia parar de olhar para ele, até que consegui responder "Sim. Ta tudo bem sim!" e ele continuou "Tudo bem mesmo?" e eu "Me desculpa mas eu acabei ouvindo a sua conversa com seu filho e quero te ajudar, eu te dou 20 reais para voce comprar o presente para o seu filho, e por favor, não recuse, eu insistirei". Eu estava trêmulo, com medo da reação daquele homem, pois ele poderia achar que eu estava chamando ele de miserável. Até que ele deu um sorriso e disse pro filho dele "Olha filho, ainda existe gente de bem nesse mundo. Eu não queria mas já que você insistiu, eu aceito" e eu sorri, ainda não conseguindo desgrudar o olhar daquele homem. Peguei minha carteira e estava vazia, me senti tão envergonhado, que não tive reação, pois não havia nenhum caixa eletrônico ali perto para que eu pudesse sacar o dinheiro. ...
«1234»