1. Aliviei um passageiro na volta pra casa


    Encontro: 12/08/2017, Categorias: Gays / Homossexual, Autor: edlimah84, Fonte: ContoErotico

    E aí gente! Voltei com mais uma história que me aconteceu faz um mês mais ou menos. Trabalho em Copacabana e na Tijuca e na volta pra casa à noite sempre espero que apareça alguma coisa. Alguma brincadeira combinada por app de celular ou algo casual no onibus, o que mais prefiro. Sempre volto pra casa e pego o ônibus na rodoviária do centro da cidade com essa esperança, sento nos últimos bancos e espero por alguma sacanagem, sem muito sucesso, mas um domingo desses eu tive sorte. Tava voltando do trabalho meio triste, não tinha arranjado ninguém pelo celular pra uma foda ou até mesmo só tomar um leite e cheguei no ponto já conformado, quando um cara já estava na fila do meu ônibus, o primeiro da fila até, mais velho, aparentava ter uns 45 anos, cabelo grisalho de roupa social, minha tara! Olhei pra ele desejando pelo menos poder abrir aquela calça pelo zíper e dar uma mamada caprichada nele, triste por não poder, mas algo me animou, o cara começou a coçar a mala e não parava mais! Começou discretamente, parava pegava no membro e dava umas bombadas, as vzs ficava apertando por dentro do bolso mesmo. Ele estava parecendo que não se aliviava faz um tempo pq passou um tempo, um volume já se formava na calça e ele tentava disfarçar.Fiquei doido! Tentava fazer ele me olhar, perceber que eu podia ajudar naquela situação, ele olhava de volta, mas não correspondia. Enfim, o ônibus chegou e nós entramos. Ele foi pros últimos bancos de uma fileira e eu, lógico, sentei na outra fileira ... do lado e graças a Deus, como era domingo, entraram poucas pessoas e ficaram mais a frente. Ele voltou a pegar no volume já formado agora por baixo da mochila e fiz questão de fazer presença, olhando pra ele. Ele percebeu, pois não parou e mais, colocou a mochila do lado e pegava na cara dura agora, marcando a calça pra e mostrar o tamanho da jeba que agora já estava dura e sinalizando pra eu vir pegar nela, rapidamente pulei pro banco onde ele estava, ele já foi abrindo o zíper e liberando aquela delícia de piroca! 18cm retinha, cheia de veias, cabeça vermelhinha já toda babada, não resisti e caí de boca, limpando a baba e sugando mais que saía com a boca, uma delícia, salgadinho, miturado com um cheiro de suor de macho, mamava bem devagar fazendo aumentar mais ainda de tamanho aquela piroca. Ele gemia baixinho cada vez que eu engolia a cobra toda forçando minha cabeça mais fundo e mandando ver na mamada. Seguiu assim até a metade da viagem, entre mamadas e punhetadas, ele dizia que queria comer o meu cuzinho, socar bem gostoso, mas estava quase chegando no ponto que ele ia descer e tbm não estava mais aguentando. Então coloquei mais uma vez minha boca naquela piroca, acelerando a mamada e ele deu uma gozada maravilhosa dentro, prendendo minha cabeça com as mãos e gemendo entre os dentes. Quase engasguei com tanto leite, mas consegui controlar o fluxo, engolindo tudinho e sugando pra arrancar mais leite. Ele estava arfando aliviado. Depois nos recompomos e trocamos whatsapp, ...
«12»