1. ela era sapatão sim


    Encontro: 11/08/2017, Categorias: Lésbicas, Autor: maria4lucia4, Fonte: ContoEroticoComBr

    Poucos minutos depois da aula ter começado, chegou a única mulher da turma inteira que me deixava com tesão só de chegar perto de mim. Infelizmente, eu não tinha certeza sobre a sexualidade dela, a única coisa que sabia é que rolavam boatos que ela tinha ficado com uma garota em uma festa do curso que rolou. Pra minha surpresa, ela sentou atrás de mim. Nossa, ela tava com um perfume que me deu tanto tesão, minha vontade era ir até a cadeira dela e dar um chupão naquele pescoço… Mas só me virei e disse oi. Ela retribuiu com um beijo na bochecha, que achei mais próximo da boca que o normal. Só que pensei: isso é coisa da minha cabeça, ela é hetero. Quando a aula acabou, a universidade já tava muito escura, e ela me perguntou se eu já ia pra casa ou se ia comer alguma coisa. Naturalmente eu iria embora, mas não quis perder a chance de passar um tempinho com essa guria. No caminho até a cantina ela tocava o meu braço, às vezes a minha mão e isso me enlouquecia de uma forma que ela jamais poderá imaginar. Quando chegamos lá, ela perguntou como eu estava, se tava namorando. E eu disse que não, que sapatões só fazem sofrer nessa vida. Ela me respondeu: nossa, é verdade, me identifiquei… Naquele momento o meu chão desabou. Descobri que ela realmente gostava de buceta e que estava ali na minha frente assumindo isso pra mim, depois de um beijo próximo da boca, de contatos físicos exagerados… O que deixava ela mais tesuda era a confiança no olhar de que sabia que aquilo tinha me ... deixado molhadinha. Eu apenas ri e disse que tem muitos lados positivos, pelo menos, ao que ela concordou. Quando fomos nos despedir, a tensão sexual ficou muito grande. Demos um abraço demorado, nos apertamos e demos vários suspiros, não aguentei e dei um beijo nela, que foi de tirar o fôlego. Nós estávamos no estacionamento e eu a encostei no carro, encaixando perfeitamente as nossas pernas e deixando minha bucetinha já toda lambuzada pra que ela sentisse a minha excitação. Ela tinha uma cintura maravilhosa, eu puxava o corpo dela pra mais próximo do meu e dava beijos lentos no pescoço, fazendo ela dar arfadas no meu ouvido. O clima esquentou e eu não aguentava mais de tanto tesão, entramos no carro, quando começamos a sarrar de verdade. Sentei no colo dela e comecei a rebolar, e ela apertava e dava tapas enlouquecedores na minha bunda. Nossos beijos e carícias estavam me deixando de pernas bambas. Comecei a pegar naqueles peitões, arranquei a sua blusa e o sutiã e comecei a chupar aqueles mamilos, dando mordiscadas que levavam ela a soltar leves gemidinhos. Ainda rebolando no colo dela, ela tirou a minha camisa e retribuiu com muita vontade. Ela passou um bom tempo nos meus peitos e isso me deixou realizada, tenho muita sensibilidade nos mamilos. Colocamos uma playlist incrível, ao que comecei a fazer o melhor lap dance na minha vida naquela mulher… Ela me olhava com tanto tesão, minha buceta tava tão molhada que eu achava que ia gozar ali mesmo. Me deu mais tapas na bunda e ...
«12»