1. Boquete no BRT


    Encontro: 10/08/2017, Categorias: Gays / Homossexual, Autor: Bruno Rossi, Fonte: ContoEroticoComBr

    Sai do trabalho, trânsito parado, resolvi ir de BRT, entrei no ônibus lotado, achei uma brecha entre dois caras, o ônibus saiu e no primeiro ponto entrou, deus sabe como, mais pessoas um rapaz se posicionou atrás de mim e a cada curva uma encoxada de leve, me arrepiei sentindo o toque daquele pau roçando minha bunda, nova parada e caraca, mais gente entrando e empurrando quem estava dentro mais pra frente transformando o ônibus numa lata de sardinha, o cara encoxou de vez em mim, estava preso e não podia me mexer, ele falou baixinho um desculpa aí, olhei para trás e abri um sorriso empinando a bunda, fui entendido e o encoxa começou pra valer, levei uma passada de mão na bunda me arrepiei, sentia a pica do cara dura roçando em mim, a partir de agora estava entregue ao vai e vem do ônibus que fazia o roça roça ficar frenético e ele forçava mais ainda a encoxada, o ônibus começou a esvaziar e sentei com o rapaz ao meu lado, senti ele roçando seu pau crescer roçando no meu braço, olhei e vi um rapaz de uns 25 anos, de short tipo futebol e camisa larga, cruzei o braço e comecei a ... apalpar o pau do rapaz que estava visivelmente sem cueca, apalpava por cima do short sentindo bem a vara dura, o ônibus foi esvaziando chegando a ficar quase vazio, levantei e fui sentar no último banco, a parte de trás estava vazia, havia umas cinco pessoas lá na frente, o rapaz sentou no banco ao meu lado e botou pra fora a vara enorme, cai de boca, sabendo que só restavam uns cinco pontos até o meu, mamei gostoso e ele segurava minha cabeça empurrando sua pica na garganta, chupava com vontade e punhetava o pau quente do rapaz sabendo que eu tinha pouco tempo e querendo leitinho, chupava vigorosamente punhetando até que ele disse que ia gozar, segurei o mastro grosso e subia e descia mamando agora devagar, senti a porra enchendo minha boca e fui engolindo e sugando seu pau até a última gota, fiquei lambendo até amolecer aquela vara deliciosa, ia chegando meu ponto, olhei pro rapaz que estava com um sorriso no rosto, sorri pra ele pondo os dedos na boca e lambendo, levantei e desci do ônibus querendo mais porra, fui pra casa tomei um banho e fui dormir torcendo pra ver o rapaz de novo.
«1»