1. O EXTRAORDINÁRIO CASO FAMILIAR DE PEDRO V.


    Encontro: 08/08/2017, Categorias: pau grande, Pai Traição / Corno, Família, irmã, Mãe, Incesto, Heterossexual, Autor: Scaramouche, Fonte: CasadosContos

    O EXTRAORDINÁRIO CASO FAMILIAR ENVIADO POR PEDRO V., parte I. Num país de 200 milhões de habitantes acho que problemas como o meu não são raros de acontecer. Chamo-me Pedro e tenho o pau grande, bem agradável de se olhar. Além disso, tenho uma mãe gostosa e uma irmã sapeca. Digo que minha irmã é sapeca porque, além de ser linda, vive conversando com minha mãe coisas de adulto (ela tem só 17 anos) e minha mãe, que é da sociedade (society) é uma mulher moderna e não vê vergonha nisso. Um dia eu estava me masturbando em meu quarto, como todo bom jovem de 18 anos, quando minha irmã abriu a porta de repente. Eu não estava me tocando, mas meu membro estava ereto e firme. Minha irmã olhou para aquilo, botou a mão na boca e saiu rindo. Me arrependi de não ter fechado a porta. Outro dia, tínhamos ido à praia sem a presença do meu pai (que não gosta de mar) e, assim que minha mãe tirou o vestidinho que usava, ficando apenas de biquíni, minha irmã olhou para mim rindo e disse: “Cuidado, mãe, o Pedrão pode acordar!”. Eu fiquei morrendo de vergonha e minha mãe disse: “É mais fácil ele acordar por ti, uma menina novinha!” Percebi que elas haviam conversado sobre mim. Então, quando minha irmã tirou a saiazinha rendada que usava como entrada de banho, fiquei olhando sem receio. Minha mãe disse: “Viu, é melhor se cobrir, vai maltratar o menino!”. Elas riram, mas nenhuma delas se cobriu. Foi o tempo todo assim, sempre que estavam de pé na minha frente faziam piadas do tipo: “O gigante ... acordou” e “É bom ir no mar...” Eu já estava rindo também, vendo que elas tiravam onda da minha cara, mas gostava é claro. A certa altura, minha irmã saiu para comprar picolé e eu cheguei na minha mãe e disse: “Não tenho essa preferência por mulheres mais novas.” Ela me olhou de lado e sorriu. Daí por diante, minha mãe dominou as brincadeiras. Quando minha irmã voltou ela disse: “Lena, (ela se chama Milena), aposto que se o Pedro não nos conhecesse te trocaria por mim.” Minha irmã riu e levou as mãos ao meu peito, perguntando: “Trocaria, mano?” Milena tem o corpo todo durinho e a bunda volumosa, eu disse: “Agora vocês me deixaram na dúvida...” Aproveitei para sugerir: “Desfilem para eu ver...” - E como saberemos quem ganhou? – perguntou. - Minha sunga. - Eu topo! – adiantou minha mãe, estimulada por minhas palavras. - Basta que andem por aqui... – eu disse, e minha mãe se levantou da cadeira, de biquíni, e veio em minha direção. A simples ideia de minha mãe mostrando-se para mim me animou, e quando ela deu uma volta perto de mim, que vi seu bundão firme, meu pau estourou na sunga que não pude controlar, e como ele é grande (duro), a cabeça quis sair pelo elástico. - Tá bom! Tá bom!!! – disse minha irmã, vou nem querer disputar. Minha mãe olhou de relance para minha sunga e foi se sentar. A brincadeira diminuiu, pois viram que eu fiquei verdadeiramente encabulado. Somente no final, quando já íamos para casa, minha mãe se vestiu e minha irmã voltou a dizer: “Pronto, Pedro, pode ...
«1234»