1. Fui levada ás nuvens


    Encontro: 07/08/2017, Categorias: Traição / Corno, Autor: donaclaudia, Fonte: ContoErotico

    Chamo-me Claudia, tenho 22 anos e sou casada á 2 anos. Sou filha de mãe alemã e pai português. Sou loira, pele branca, alta, seios fartos, pernas bem torneadas.Cedo percebi que atraia os rapazes, mas tive uma educação rígida e casei-me virgem e disposta a ser fiel toda a vida ao meu marido. Foi com o meu marido que aprendi os prazeres do sexo. No entanto, cedo percebi que o meu marido me traia com regularidade. Quando o confrontava, ele me dizia que não se importava que eu fodesse também com outros homens, pois uma coisa era o amor que tínhamos um pelo outro, outra coisa era a nossa vivência sexual.O meu marido que trabalha numa multinacional tinha sido colocado em Nova York á 3 meses. Eu fiquei em Lisboa até que ele arranjasse casa, para eu ir ter com ele. Confesso, que os 3 meses de ausência do meu marido, me deixaram super carente. Todas as noites batia uma siririca.No dia em que fui ter com ele, deparei-me na zona de check-in com um cara alto e super gato, que ficou olhando para mim. Eu afastei o olhar. Já no avião, percebi que ele tinha ficado 2 filas á minha frente. De vez em quando, ele olhava para trás, percorrendo o olhar pelo meu corpo e pelas minhas pernas. Eu levava uma saia curta e gostando daquela cena de sedução, fui fazendo com que ela subisse um pouco.Era de noite e apagaram-se as luzes, para os passageiros dormirem. Fechei os olhos e algum tempo depois, senti o cara a sentar-se ao meu lado. Começou a lamber-me o pescoço, enquanto com uma das mãos me abria ... a camisa. Não levava soutien, pelo que as minhas mamas ficaram á mercê das mão do desconhecido, que com os dedos me apertou os bicos das mamas, levando-os a endureçerem, enquanto nos beijávamos demoradamente. Outro cara, um pouco mais á frente observava-nos. Voltei a fechar os olhos e a sentir a mão do cara a tocarem na minha buceta por cima das cuequinhas. Eu explodia de tesão e não oferecia qualquer resistência. Ele afastou o elástico das minhas cuequinhas e passou os dedos ao longo da minha buceta, depois enquanto me massajava o grelo, dizia-me ao ouvido, que me queria foder e que fosse ter com ele ao banheiro. Esperei um pouco. O outro homem que nos observava, continuava olhando. Tirei as cuequinhas, estava com a buceta encharcada. Fui ter ao banheiro, entrei, mas o compartimento era super apertado. O cara com força me sentou em cima do lavatório, depois encostou-se a mim e me começou a penetrar, enterrando o seu caralho até ao talo. Fodeu-me com força, socando forte, pouco se importando se me machucava. Por cada estocada, eu gemia de dor e de prazer. Gozei um orgasmo intenso, pouco antes dele me encher a buceta de jatos de porra. Sem trocarmos palavras saimos do banheiro e cada um se sentou no seu lugar.Em Nova York o meu marido me esperava. Tive receio de fazer sexo com ele nessa noite, pois tinha a buceta inchada e tinha medo que ele descobrisse. Ele ficou desiludido com a minha recusa. Na manhã seguinte, ele me disse que me iria arranjar um tutor sexual, um cara mais ...
«12»