1. Na piscina do amigo tudo pode acontecer


    Encontro: 19/06/2017, Categorias: Traição / Corno, Autor: kaplan, Fonte: ContoEroticoComBr

    (escrito por Kaplan) Meg sempre gostou de receber convites de amigos para “tomar sol” nas piscinas das casas deles. Tomar sol é legal, diriam vocês, leitores e leitoras. Mas em muitos prédios onde moramos havia piscina… e ela sempre preferia as dos amigos! Entenderam? Vou desenhar, caso não tenham entendido! Pedro era um desses amigos que morava em bela casa num condomínio fechado. Convidou-a uma vez, porque ela conversava com ele e reclamava que meu trabalho me ocupava os sábados e ela acabava ficando em casa. Então ele fez o convite, que foi aceito de imediato e no sábado, de manhã bem cedo, ele passou em nosso apartamento e ela foi com ele. Quando nos encontramos, de noite, eu cansado das fotos de casamento que havia feito, ela se mostrava cansada também, mas não conseguia tirar o sorriso do rosto. Logo saquei que o cansaço era porque tinha trepado demais com o Pedro. Ela só conseguiu me contar no domingo de manhã, porque ambos dormimos mal chegamos em casa. – Querido,você viu que eu saí daqui de casa já de biquíni, apenas com aquela camiseta comprida. E quando chegamos lá, a casa dele é linda, você conhece, fomos direto para a piscina, ele tirou a camisa, ficou só de bermuda e eu fui experimentar a água, ainda com a camiseta sobre o biquíni. Ficamos conversando um pouco, com os pés na água, aí me levantei para tirar a camiseta e fiquei meio que de costas para ele. Quando comecei a suspender a camiseta, ele elogiou minha bunda. Senti, na hora, que ia rolar alguma coisa… – ... E você tinha alguma dúvida a respeito? – Bem, nunca tinha rolado nada entre ele e eu, né? Confesso que pensei que seria apenas um dia na piscina. Bem, você já sabe que me enganei completamente. – Sim, eu sei, continua a contar. – Pois então, eu suspendi a camiseta mas não a tirei e quando ela ficou acima do sutiã, ele me disse que a piscina da casa dele tinha privacidade total, se eu quisesse fazer topless, podia fazer sem susto. Aí tive a certeza e fiquei com vontade. Então desamarrei o sutiã, mas continuei com a camiseta em cima dos seios. Ele voltou a elogiar, agora falando dos seios e eu então entrei de sola no jogo. Falei “eles não são apenas bonitos, são gostosos também, pelo menos é que me dizem!” Ele me perguntou se era apenas você que dizia e eu falei que não. Pronto, ele já sabia que eu transava com outros caras também. Então, sem mais palavras, chegou bem perto de mim e começou a lamber meus seios e eu fiquei doidinha! Falei com ele: “Você já elogiou minha bunda, meus seios… eu vou ter alguma coisa sua para elogiar?” ele entendeu e tirou a bermuda e me mostrou um belo pau, já olhando para o céu de tão duro! – Aí você pegou e fez aquele boquete.. – Não, pegar eu peguei, mas ele não deu tempo de eu fazer o que eu queria. Já foi me sentando no pau dele, me pôs pra cavalgar, logo parou, ficou de pé e como ele é bem forte, me levantou e me enganchou no pau dele, depois me pôs de quatro, eu já estava ficando desorientada com a aflição dele para me comer… aí que fiz ele ...
«12»