1. SURPRESAS DO CORAÇÃO - PARTE XIX


    Encontro: 19/06/2017, Categorias: felação, hardcore, Oral, Sexo, Gays / Homossexual, Gays / Homossexual, Autor: Grey, Fonte: CasadosContos

    rabo, e tentei com o meu cu, morder seu dedo. - Relaxa esse cu, porra! Meteu o dedo inteirinho. - Relaxa o cú moço! Permaneceu com o dedo dentro do meu cú. Certamente ele sentiu o quanto quentinho e apertado ali dentro, ou estava acostumando. De repente, tirou e socou de novo. Em uma das vezes que tirou o dedo deu para eu chupar a fim de provar meu gosto. Chupei o dedo dele. Sentir o meu gosto salgado. - Grandão, que gosto bom que tem esse seu rabo. Esse rabo já foi apenas teu! - Eu sei. – O grandão respondeu lisonjeado. - Esse rabo é teu. Só teu. - E ai de ti se der pra outro. – Com a outra mão marcou minhas nadegas com uma tapa forte que gritou contra minha carne nua. – Sou teu senhor! Esse rabo é meu. - Eu sou teu grandão. - falei sentindo o ardor da tapa na minha carne. - É bom que seja consciente deste fato. Neste cú só eu entro. – Ele meteu mais um dedo enquanto falava comigo. Eu tremir. Dei uma olhada para trás e contemplei seu corpo enorme com leves gotas de suor. O Cara é um gostoso, meu Deus! Como pode ser tão lindo assim? Sentir-me um privilegiado. O passo seguinte foi o grandão ajeitar seu pau bem na portinha do meu rabo, e tentou meter. Doeu. - Tá doendo grandão. Ele de pronto parou. - Só vou tentar novamente quando você achar que devo. -Paciente esperou pela minha permissão -Tenta novamente. – Falei. Ele cuspiu e passou entorno da cabeça do pau, e logo após começou a forçar o cacete de encontro ao meu rabo em obediência a mim. Eu dei a permissão. A cabeçona ... tocou minhas pregas e no mesmo momento gemir numa cadência suplicante. - Acho melhor usar lubrificante, pois só cuspe não vai dar certo. - E assim procedeu. Algo úmido foi posto por ele no meu ânus, o que fez dilatá-lo. Ele foi metendo sem brutalidade, o canal, agora foi distendendo-se entre uma dor suportável. A pica de Mauricio entrando lentamente, destruindo as pregas do meu rabo. De fato, não tinha como as pregas ficarem intactas frente à dimensão do membro do grandão. Eu sentia tudo, tudo acentuadamente, embora agüentasse. Ele continuou metendo. Continuou, entrando o pau dele, rasgando meu cu. Murmurei entre gemidos de dor. - Teu pau é muito grande grandão. - Quer parar? - Não. Jamais. Já transamos outras vezes, mas hoje parece que tá maior. – Rio. – Mas, não é motivo para não tê-lo dentro de mim. Mordi os lábios, lancei meus olhos para trás e encontrei os olhos dele que me olhava sensualmente, querendo-me, desejando-me. Um ímpeto de felicidade brotou em mim mais uma vez. O grandão gostava de mim. Obrigado meu Deus! O pau dele dentro de mim, como era bom a sensação dele dentro de mim. - Vou fazer movimento de vai e vem, pode ser? Travei os dentes. - A sensação é muito boa em tê-lo dentro de mim, mas preciso acostumar antes do movimento de vai e vem. Com efeito, a fim de acostumar com ele dentro de mim, suspendi a respiração, porque o volume que se alojara nas minhas entranhas era enorme, eu necessitava de certo tempo para me adaptar. Ele aguardou até que eu conseguisse me ...