1. Uma difícil decisão - Parte III


    Encontro: 18/06/2017, Categorias: Gays / Homossexual, Lésbicas, Lésbicas, Consolo, Autor: Lollitta, Fonte: CasadosContos

    Continuação... -Safada hein... Haha claro que sim... -Respondeu, se erguendo e me virando pra ela. -O que é isso? -Perguntei ao perceber que Lúcia havia tirado de baixo de seu travesseiro um pênis de borracha. -É um consolo amor... -Falou, observando minha curiosidade e excitação. Nunca havíamos usado um desses antes. -Ah... -Não sei bem se foi uma concordância, um gemido de excitação ou um de medo. -Eu preciso que vc mantenha suas pernas nessa posição. Tudo bem? -Me instruiu. Minhas pernas foram erguidas por ela que fez com que meus joelhos ficassem próximos a meu rosto. Minha xaninha ficou exposta. -Tá bem... -Falei abraçando meus joelhos, assim minha pernas ficariam por mais tempo naquela posicão. Lúcia colocou o consolo em minha boca, fazendo um pedido. -Chupa ele pra lubrificar, princesa... -Sim, amor. -Respondi. Tudo o que ela quisesse... -Isso, delícia... -Falou, percebendo que eu havia enfiado parte do instrumento na boca. Ela se abaixou e passou a lamber e salivar minha buceta... Eu só não gemi horrores por que estava com a boca ocupada, além do mais, eu ia sentir pela primeira vez algo mais grosso que dedos em minha gruta... -Pronto... -Falou levantando e tirando o pênis da minha boca. -Vc tá preparada? -Perguntou vestindo a cinta grudada no consolo. -Sim... -Falei fechando os olhos e mordendo o lábio. Ela beijou minhas coxa e acariciou os pés, lambeu e chupou dedinho por dedinho... -Relaxa... -Falou depois, se ajeitando sentada entre minhas pernas, apontando a ... cabeça do negócio na entrada de meu sexo. Eu podia sentir. -Posso? -Me olhou com êxtase, perguntando. -Sim... -Mordi o lábio. -Aiii... -Senti a ponta do pênis entrar e tive uma deliciosa sensação... -Continua... Vai... -Pedi. -Tem certeza? -Perguntou desconfiada. -Sim... Vai... -Gemi. Ela continuou enfiando e eu gemendo... Quando a metade entrou, ela puxou lentamente pra fora, me torturando. Depois ela empurrou novamente. Ela tirava e botava muito devagar. -Amor... Mais rápido... -Pedi ofegando. Eu pouco podia ne mexer naquela posição. -Tá bem... Safadinha... -Sorriu. -Uhhh... -Gritei. Lúcia socou rápido e fundo, tirando em seguida. -Isso, amor... Mais... Ahhh... -Agora eu pedia por mais e ela me atendia. Metia cada vez mais rápido e fundo. Minhas mãos estavam suadas, assim como todo meu corpo... Um de seus braços se apoiava em minhas pernas, a mão estimulava meu clitóres. Seu quadril se movimentava, fazendo o vai e vém que socava o brinquedo em mim. Nossos olhos se cruzavam... -Hmmm... Eu vou... Gozar... -Gemi alto, desfalecendo. -Goza pra mim... -Falou beijando meu tornozelo, acariciando minha panturrilha. -Ohhh... -Gozei... E ela puxou o brinquedo lentamente de dentro de mim. Nós duas ofegávamos. -Ah meu anjo... Vc tá demais... -Sussurrou baixando minhas pernas e beijando minha testa. Eu beijei sua boca, ela chupou minha língua, eu mordi seu lábio. -Sério amor? -Meus olhos brilharam depois do beijo. -Vc também foi ótima... -Sorri. -É? Mas ainda não acabou. -Falou sorrindo, ...
«12»